3 TED Talks para entender a discriminação algorítmica

Compartilho hoje três TED Talks a que assisti recentemente e que considero essenciais para entender a discriminação algorítmica. As palestras, gravadas respectivamente nos anos de 2016, 2018 e 2020, são todas ministradas em inglês. Contudo, para os leitores e leitoras com dificuldade de compreensão na língua, é possível ativar a tradução automática.

3 TED Talks para entender a discriminação algorítmica

Vamos, então, às indicações:

1. How I’m fighting bias in algorithms (2016)

Joy Buolamwini narra episódios de discriminação algorítmica que vivenciou durante sua graduação na Georgia Tech e quando visitou uma startup em Hong Kong. Em ambos os casos, aliás, sistemas de reconhecimento facial não identificaram seu rosto. Joy percebeu que os algoritmos não foram ensinados a identificar uma ampla variedade de tons de pele:

É provável que você goste:

Discriminação algorítmica leva empresas a suspender investimentos em reconhecimento facial

2. How to keep human bias out of AI (2018)

Nesta palestra, a tecnóloga Kriti Sharma destaca que os algoritmos são utilizados o tempo todo para decidir sobre quem somos e o que queremos. A inteligência artificial está, em suma, sendo usada para decidir diversos aspectos do cotidiano, mas essas decisões estão sendo filtradas através de suposições baseadas em nossa identidade, raça, gênero e idade:

É provável que você goste:

Sistemas que calculam “índice de reincidência” dos réus crescem nos EUA

3. How racial bias works — and how to disrupt it (2020)

Neste talk, a psicóloga Jennifer L. Eberhardt explora como o viés pode infectar todos os aspectos do sistema de justiça criminal, levando pessoas negras a estarem mais propensas a receber sentença de morte quando as vítimas são brancas. Além disso, Jennifer destaca como o preconceito pode influenciar a forma como os professores ensinam seus alunos:

Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Discriminação algorítmica leva empresas a suspender investimentos em reconhecimento facial

Próximo

Os desafios da advocacia no “novo normal”