Advocacia 4.0: 4 habilidades para desenvolver em 2020

O World Economic Forum (WEF) lançou recentemente um dos mais importantes relatórios sobre o futuro do trabalho. O estudo, intitulado The Future of Jobs, reúne informações e conselhos de especialistas em recursos humanos e em gestão estratégia das maiores empresas do mundo, além de revelar quais são as habilidades essenciais que todo profissional deve possuir até 2020 para não sucumbir no mercado de trabalho.

  • Em síntese, clique AQUI para ler o estudo completo.

4 habilidades para desenvolver em 2020

Embora o estudo enumere habilidades comuns a todas as profissões, parece inegável que elas são perfeitamente adaptáveis ao contexto da advocacia. Isso porque a Quarta Revolução Industrial está afetando todas as indústrias e setores, incluindo o Direito. Portanto, a advocacia está sendo radicalmente influenciada pela revolução 4.0 e exigindo de seus profissionais competências para enfrentar os desafios do amanhã.

Com as devidas adaptações à realidade do Direito, conheça, então, 4 habilidades para desenvolver em 2020:

1. Resolução de problemas complexos

A resolução de problemas complexos não nasce com o profissional, mas se aprimora ao longos dos anos. A habilidade, que compreende solucionar problemas novos e indefinidos em ambientes reais, é construída a partir de uma base sólida de pensamento crítico. Conforme o relatório, o profissional 4.0 deve ter a elasticidade mental para resolver problemas que nunca viu antes e que podem ficar mais complexos a cada minuto.

No contexto da advocacia, como já mencionei em outros textos publicados neste site, as novas tecnologias estão batendo às portas do Poder Judiciário com questões complexas e inusitadas. Situações antes relegadas ao plano da ficção científica estão chegando às mesas dos magistrados. Cabe aos advogados do futuro solucionar os problemas complexos decorrentes das novas tecnologias e exercitar a todo tempo o pensamento crítico.

Em suma, alguns cursos para desenvolver esta habilidade:

2. Pensamento crítico

Conforme o estudo do WEF, o pensamento crítico, que envolve lógica e raciocínio, será uma das habilidades mais valiosas no futuro. Os pensadores críticos serão adições bem-vindas a qualquer equipe. Os profissionais devem ser capazes de usar a lógica e o raciocínio para questionar os problemas e considerar as mais variadas soluções. Além disso, devem colocar os “prós” e os “contras” na balança a cada nova abordagem.

A base do pensamento crítico é fazer perguntas. Os advogados capazes de fazer boas perguntas e encontrar formas inovadores de resolver os problemas serão essenciais no futuro. Antes de resolverem os problemas, os profissionais devem sempre analisar e indagar, de forma crítica, suas causas e seus motivos, seja por meio de brainstorming com colegas de trabalho, seja explorando as diferentes opções de pensamento divergente.

Em suma, alguns cursos para desenvolver esta habilidade:

3. Criatividade

A criatividade é uma habilidade essencial que pode ser treinada e aprimorada. Ser criativo é ser capaz de conectar dados e informações aparentemente díspares e, a partir dessa conexão, construir ideias para apresentar algo “novo”. As novas tecnologias estão exigindo dos profissionais da advocacia, sobretudo os mais conservadores, uma boa dose de criatividade para se manterem competitivos no mercado jurídico.

Apesar da ascensão da inteligência artificial e da robótica avançada, as maquinas não possuem a capacidade criativa do ser humano. Os advogados do futuro devem, portanto, ser criativos, seja para oferecer produtos e serviços diferenciados no mercado jurídico, seja para encontrar soluções para as questões jurídicas (combinando esta habilidade com o pensamento critico e com a resolução de problemas complexos).

Em suma, alguns cursos para desenvolver esta habilidade:

4. Gestão de pessoas

Mesmo com todo o avanço da robótica e da inteligência artificial, funcionários sempre serão recursos valiosos para qualquer empresa. Contudo, como pessoas que são, os funcionários têm dias ruins, ficam cansados, distraídos, doentes e desmotivados. Daí entre a importância da gestão de pessoas. Em síntese, saber gerenciar pessoas significa saber motivar equipes, responder às necessidades dos funcionários e maximar a produtividade.

A gestão de pessoas é importante no contexto da advocacia. Hoje não é mais suficiente apenas analisar o currículo de potenciais advogados para compor o escritório. É preciso analisar o perfil e as características interpessoais, antecipando a capacidade que os candidatos possuem de produzir resultados. Avaliação de desempenho, incentivo com gamificação e delegação de atividades também fazem parte de uma gestão eficiente de pessoas.

Em suma, alguns cursos para desenvolver esta habilidade:

Novas habilidades em 2020

O mundo está evoluindo com muita velocidade. De acordo com o estudo, um terço das habilidades essenciais no mercado hoje não serão mais necessárias até 2020. Logo, para acompanhar o compasso das mudanças, precisamos estar em permanente desenvolvimento (continuous reskilling). Mesmo que o Direito esteja sempre atrasado em relação ao tempo social, os advogados, definitivamente, não precisam seguir o mesmo ritmo.

É provável que você goste:

Continuous reskilling: o advogado deve continuamente desenvolver novas habilidades


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Como Israel está se tornando um centro de inovação em tecnologia jurídica

Próximo

10 podcasts sobre Direito, inovação e tecnologia para acompanhar em 2020