Advocacia pós-pandemia: o modelo híbrido de trabalho veio para ficar

Em meio a tantas incertezas no mundo jurídico pós-pandemia, algo parece certo: o modelo híbrido de trabalho veio para ficar. As lições aprendidas durante os desafiadores anos de 2020 e 2021 não deixam dúvida de que os profissionais da advocacia combinarão o melhor dos dois mundos (online e offline) para oferecer serviços cada vez melhores.

Os contornos do mercado jurídico híbrido ainda estão sendo moldados

É bem verdade que os contornos do mercado jurídico híbrido ainda estão sendo moldados. Não sabemos ao certo como os tribunais, os escritórios de advocacia e os departamentos jurídicos vão se portar nos próximos anos. Mas a pandemia revelou que é possível trabalhar com flexibilidade e sem depender de um espaço físico para ser produtivo.

Só para ilustrar: o 2021 Legal Trends Report destaca que, em 2018, apenas 23% dos clientes estavam abertos a ideia de contratar um advogado remotamente. Esse número subiu, em 2021, para 79%. Conforme o relatório da Clio, os clientes passaram a não ver mais objeção em contratar um profissional de forma online, como acontecia antes.

É provável que você goste:

Nem físicos nem digitais: escritórios de advocacia do futuro serão híbridos

Cliente não querem uma experiência jurídica totalmente remota

Isso não significa que os clientes esperam uma experiência jurídica totalmente remota. A procura por serviços jurídicos e a contratação de um advogado pode iniciar remotamente, e o mesmo vale para as reuniões de acompanhamento. Mas os clientes acreditam que alguns atos devem acontecer de forma presencial, para preservar a relação profissional.

O cenário está levando os escritórios de advocacia a repensar seus espaços físicos. “Reduzir os gastos com espaço de escritório pode abrir receita para melhor lucratividade e investimento em outras áreas do negócio, como pessoal ou tecnologia, aumentando ainda mais as perspectivas de crescimento de uma empresa”, aponta o relatório.

Outro relatório relevante, o Legal Industry Report 2021, também conclui que o modelo híbrido veio para ficar. Conforme o report, será comum alternar, nos dias da semana, entre o trabalho remoto e presencial. “Os efeitos da pandemia mudaram a forma como os profissionais do direito veem o conceito de ‘trabalho’ e onde eles o realizam”.

modelo híbrido de trabalho 01
Não há como voltar ao mundo de antes

O modelo híbrido de trabalho veio para ficar

O especialista em tecnologia jurídica Bog Ambrogi acredita igualmente no modelo híbrido de trabalho. Em recente artigo publicado em seu blog, o expert assinalou que “o híbrido é realmente melhor na maioria dos casos”, oferecendo comodidade, eficiência e melhor atendimento, sem diminuir a produtividade. Nas palavras de Ambrogi,

Para profissionais do Direito, oferece equilíbrio entre vida pessoal e profissional mais saudável, sem diminuir a produtividade. Ao cliente, oferece maior comodidade em trabalhar com advogado e maiores opções na escolha de um advogado. Para os tribunais, oferece ferramentas para maior eficiência e melhor atendimento ao público. Para os litigantes – especialmente para aqueles que se representam – oferece um acesso mais fácil ao sistema de justiça.

Certamente, não há como voltar ao modo como as coisas eram antes da pandemia.


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

ÍRIS publica guia sobre Linguagem Simples e Direito Visual

Próximo

Por que os advogados devem usar indicadores de desempenho (KPIs)