Com quiosques interativos, juíza pretende levar o tribunal às comunidades

A juíza estadunidense W. Mona Scott afirmou que pretende instalar quiosques interativos nas comunidades de Cleveland, para ajudar os cidadãos a participar das audiências virtuais. Conforme ela, que exerce a magistratura no Tribunal Habitacional da cidade, a iniciativa pretende facilitar o acesso à Justiça e levar o tribunal às comunidades.

Quiosques interativos para facilitar o acesso à Justiça

A experiência dos últimos meses levou a magistrada a perceber que as pessoas deixam de comparecer às audiências por diversos motivos, sendo a falta de conectividade uma das razões mais frequentes. Após estudar diferentes maneiras de auxiliar no problema, a juíza decidiu direcionar parte das verbas doadas ao tribunal para auxiliar os litigantes:

Este dinheiro doado ao tribunal habitacional nos dará a oportunidade de nos tornarmos um pouco mais inovadores e permitir que as pessoas tenham acesso à justiça. – W. Mona Scott (Juíza do Tribunal Habitacional de Cleveland)

quiosques interativos 01
Os quiosques buscam facilitar a vida das pessoas sem acesso à Internet

Em síntese, a proposta da magistrada envolve adquirir quiosques interativos – também chamados de terminais de autoatendimento –, para que os cidadãos sem acesso à Internet participem das audiências virtuais. Caberia aos litigantes se deslocar aos locais nos quais o equipamento foi instalado, inserir o número do processo e aguardar o início dos atos judiciais.

Acesso à Justiça e falta de conectividade

Dados revelam que a população mundial gira em torno de 7,8 bilhões de pessoas. Desse patamar, 4 bilhões de pessoas não têm acesso à Justiça, segundo levantamento do Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico – OCDE, e 2,7 bilhões de pessoas não tem acesso à Internet, de acordo com dados atualizados do Internet World Stats.

quiosques interativos 01
A juíza W. Mona Scott quer levar o tribunal às comunidades de Cleveland

É provável que você goste:

A tecnologia vai melhorar o acesso à justiça para alguns, mas não para todos

Embora o problema do acesso à Justiça envolva múltiplos fatores, a juíza acredita que os quiosques vão ajudar a reduzir os obstáculos. A meta, em suma, é instalar dois terminais na zona oeste da cidade e mais dois na zona leste até setembro de 2021. Serão privilegiados locais nos quais há maior número de despejos e pessoas de baixa renda.

Onde é o lugar que tem mais impacto? – W. Mona Scott (Juíza do Tribunal Habitacional de Cleveland)


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Juiz usa recursos gráficos em resumo de sentença; desembargador elogia

Próximo

Kurier busca transformar o mercado jurídico por meio da inteligência de dados