Conceitos jurídicos podem ser mais acessíveis por meio da comunicação visual

Recentemente foi lançado, em Nova York, o Graphic Advocacy Project, um projeto que busca tornar os conceitos jurídicos acessíveis a todos por meio da comunicação visual. Com o lema Visualize Justice, a iniciativa desenvolve facilitações gráficas personalizadas para que todas as pessoas sejam capazes de compreender seus direitos e deveres.

Fundado pela nova-iorquina Hallie Jay Pope, o projeto é composto exclusivamente por mulheres. Em síntese, a equipe do Graphic Advocacy Project (GAP) é composta de advogadas, cartunistas e designers, e conta também com a professora Margaret Hagan, pioneira na área de Legal Design, como integrante de seu conselho administrativo.

Conceitos jurídicos acessíveis a todos

A iniciativa acredita que as pessoas não deveriam depender de especialistas para entender as leis que afetam suas existências. Todos devem conhecer a legislação – e não apenas um grupo de reservado de poderosos. Desse modo, na visão do projeto, a comunicação visual é o melhor caminho para tonar os conceitos jurídicos mais acessíveis:

Humanos processam visuais mais rápido do que texto. Combinar palavras com gráficos aumenta nossa capacidade de compreender e sintetizar novas informações. Os recursos visuais nos envolvem, nos motivam e permanecem conosco por muito tempo depois de os termos visto. – GAP

O objetivo do GAP é ajudar os defensores da justiça social a se comunicar da maneira mais eficaz possível, empregando recursos visuais. Entre os projetos já desenvolvidos pelo projeto estão: cartilhas educativas, guias informativos, histórias em quadrinhos com narrativas visuais para destacar pontos relevantes e também infográficos interativos.

Veja alguns exemplos:

1. Ilustrações para ajudar pessoas endividadas

Em parceria com o A2J Lab, da Escola de Direito de Harvard, o GAP desenvolveu storyboards para capacitar indivíduos a entender questões jurídicas relacionadas a problemas financeiros e de crédito. Só para ilustrar: os materiais produzidos fornecem informações relevantes, para que pessoas endividadas possam entender seus direitos e deveres.

É provável que você goste:

Visual Law passa a ser diferencial em vagas de emprego

2. Guias ilustrados sobre votação

Em 2016, o GAP se uniu com o NAACP Legal Defense and Educational Fund, Inc., organização que luta pela justiça racial nos Estados Unidos, para criar guias ilustrados sobre votação em cada estado norte-americano. Os materiais fornecem informações relativas a como se identificar perante o mesário, na hipótese de não possuir foto de identificação:

 

conceitos jurídicos 02

3. Storyboards para informar o público sobre taxas e emolumentos

O GAP reuniu forças com a American Civil Liberties Union of Massachusetts (ACLU), organização não governamental (ONG) que busca defender e preservar os direitos e liberdades individuais garantidas na Constituição nos Estados Unidos, para informar o público sobre taxas e emolumentos. O parceria resultou, aliás, num storyboard informativo:

Saiba mais sobre o Graphic Advocacy Project

Enfim, clique AQUI para saber mais sobre o projeto.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

As três ondas de transformação da tecnologia jurídica

Próximo

Empresa aposta no design visual e interativo para esclarecer conceitos jurídicos