Conheça as principais categorias de legaltechs colombianas

O ecossistema de tecnologia jurídica tem crescido ao redor do mundo. Lawtechs e legaltechs estão investindo em soluções tecnológicas para aprimorar o setor jurídico, auxiliando escritórios de advocacia e departamentos jurídicos na realização de suas atividades. Hoje faremos um breve tour para conhecer as principais categorias de legaltechs colombianas.

Principais categorias de legaltechs colombianas

Embora países como Austrália e Brasil tenham associações dedicadas a conectar o ecossistema de tecnologia jurídica (ALTA e AB2L, respectivamente), a Colômbia ainda não dispõe de uma entidade representativa. Felizmente, o movimento global Legal Hackers chegou à capital Bogotá e nos brindou com um mapa completo das legaltech em solo colombiano.

Confira, a seguir, o mapa organizado pelo Legal Hackers Bogotá:

legaltechs colombianas 01
O mapa de startups jurídicas foi criado pelo Legal Hackers Bogotá

É provável que você goste:

Conheça as principais categorias de legal techs australianas

Explorando as categorias

A categoria evidencias digitales abrange, em síntese, startups que oferecem serviços de assinatura e autenticação de documentos jurídicos de forma online. Já a software de gestión (incluye contratos y procesos judiciales) reúne legaltechs focadas na gestão de contratos e processos judiciais, para escritórios e departamentos jurídicos.

Por sua vez, a categoria investigación jurídica é mista, abarcando tanto soluções de clipping jurídico (envio de julgados e notícias jurídicas por e-mail) quanto de legal analytics (sistemas que permitem análises jurídicas baseadas em dados). A formación abrange startups focadas na educação jurídica (edtechs), que oferecem cursos e treinamentos.

A categoria marketplace concentra startups que conectam clientes com advogados, advogados com advogados, e advogados com contadores. Já a categoria servicios jurídicos online é abrangente. Há soluções especializadas em serviços contábeis para escritórios, empresas de consultoria jurídica e startups que entregam serviços sob demanda.

Em síntese, a categoria automatización de documentos y de procesos é autoexplicativa. Nela estão compreendidas startups que desenvolvem softwares de automação de documentos jurídicos (geralmente na modalidade software as a service – SaaS), além de gestão do ciclo de vida de contratos (contract lifecycle management – CLM) e processos.

A categoria marcas patentes reúne startups que oferecem a clientes serviços de registro e monitoramento de marcas. Sobre análisis y revisión de contratos, não está bem claro a que se propõe. Embora o nome indique análise e revisão de contratos, tal atividade já está abarcada em outras categorias. A única startup aqui é focada no mercado de derivativos.

O ecossistema colombiano de tecnologia jurídica

De acordo com o levantamento, a Colômbia reúne 100 startups jurídicas. É provável que existam mais legaltechs em solo colombiano, uma vez que o mapa é fruto dos esforços do Legal Hackers Bogotá. Seja como for, o número supera países como Austrália, Espanha, Singapura e Israel. Talvez possamos aprender muito com a Colômbia nos próximos anos.


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Faculdades de Direito devem investir no ensino de tecnologia jurídica?

Próximo

Crimes digitais crescem em ritmo alarmante durante a pandemia, revela INTERPOL