Conheça askLisa, uma plataforma online de gestão de consultas jurídicas

Continuo a série de entrevistas com (co)fundadores de lawtechs e legaltechs brasileiras. Hoje é a vez de conhecer a askLisa, uma plataforma online de gestão de consultas jurídicas. Conversei com o Guilherme Leonel, CEO da startup, sobre o funcionamento, as soluções oferecidas, o propósito, os diferenciais e os planos para o futuro:

askLisa 01

1. Em primeiro lugar, como surgiu a askLisa?

A askLisa surgiu da Lex Design após anos de projetos com grandes empresas onde percebemos que muitas dores eram partilhadas entre diferentes departamentos jurídicos. A falta de dados, de simplicidade, de organização e de gestão de demandas são comuns a grande maioria dos departamentos jurídicos e, percebendo essa dificuldade de dentro, resolvemos construir um produto digital para endereçar parte destas lacunas. Todo departamento jurídico possui um sistema de gestão de contencioso e eventualmente um sistema de gestão de contratos, mas poucos fazem uma gestão das consultas que chegam a todo momento e respondem por até 40% do dia do advogado. A askLisa nasceu para resolver isso.

2. Quais são, em síntese, os serviços oferecidos?

A askLisa é uma plataforma online de gestão de consultas atrelada aos principais sistemas de comunicação empresariais, como Microsoft Teams, Gmail e Slack. Ela recebe a consulta, organiza, classifica e responde automaticamente para os clientes internos, organizando dados, histórico e informações antes perdidas. Nossos chatbots interagem diretamente com os clientes para responder a perguntas repetitivas e demandas operacionais, liberando tempo dos advogados com consultas de baixa complexidade.

É provável que você goste:

Kurier busca transformar o mercado jurídico por meio da inteligência de dados

3. Qual é o diferencial em relação às demais startups que oferecem soluções similares?

Em primeiro lugar, nossa construção a partir da centralidade do usuário faz com que a usabilidade seja muito diferenciada, elogiada e super simples de usar. Em segundo lugar, não temos custo e nem período de integração ou implementação. O uso é imediato, basta começar a usar, plug and play. E por ultimo, nosso foco na gestão das consultas faz com que o fluxo seja melhor construído.

4. A askLisa tem, aliás, um Propósito Transformador Massivo (MTP)? Se sim, qual?

Redesenhar a gestão dos departamentos jurídicos a partir da experiência do advogado, mostrando a ele que o Direito pode ser simples, objetivo e focado em dados.

5. Quem, só para ilustrar, são as pessoas por trás da askLisa?

Nosso time foi construído a partir da diversidade de experiências e trajetórias de todos e contamos com profissionais de Engenharia, UI/UX, Design, Research, Marketing, Direito e outras áreas e possuímos passagens por empresas como Lex Design, Itaú, C6 Bank, Will Bank, Wine e esta diversidade toda é colocada dentro do produto e da experiência que proporcionamos.

6. Em suma, quais são os planos para o futuro?

Apoiar o departamentos jurídicos em toda sua jornada de Legal Ops e, a partir disso, redesenhar a relação que a empresa tem com os assuntos jurídicos como um todo.


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Print screen do e-mail já não basta para convencer o juiz

Próximo

Susskind: os serviços judiciais deverão ser radicalmente desenhados