Crimes digitais crescem em ritmo alarmante durante a pandemia, revela INTERPOL

A Organização Internacional de Polícia Criminal (INTERPOL) revelou, em recente relatório, que os crimes digitais estão crescendo em ritmo alarmante durante a pandemia. Conforme a organização, governos e instituições de saúde estão sendo bastante afetados, e a expectativa é de que as condutas criminosas aumentem nos próximos meses.

Mesmo antes de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter decretado o estado de pandemia, criminosos já estavam se valendo do tema para praticar seus ilícitos. De janeiro a abril de 2020, a INTERPOL detectou 907 mil spams, 737 incidentes relacionados a malwares e 48 mil links suspeitos, sendo todos eles relacionados à pandemia de COVID-19.

Crimes digitais crescem em ritmo alarmante

De acordo com o secretário-geral da INTERPOL, Jürgen Stock:

Os cibercriminosos estão desenvolvendo e aumentando seus ataques em um ritmo alarmante, explorando o medo e a incerteza causados ​​pela situação social e econômica instável criada pelo COVID-19. – Jürgen Stock

A dependência que temos da tecnologia e dos sistemas digitais, sobretudo em tempos pandêmicos, está estimulando a criação de novas condutas ilícitas e incentivando cibercriminosos a agirem. Conforme o report, uma das práticas mais utilizadas é o phising (59%), na qual os criminosos tentam ludibriar as vítimas com e-mails fraudulentos:

É provável que você goste:

Como se proteger de golpes na Internet

Os cibercriminosos têm se passado por governos e autoridades de saúde, utilizando o contexto para furtar dados das vítimas. O medo de contrair a doença, somado ao desespero por uma vacina, leva muitas delas a caírem nos golpes, baixando conteúdos maliciosos, clicando em links que levam para sites fraudulentos ou fornecendo dados pessoais.

A INTERPOL acredita que haverá um crescimento na prática de phishing assim que uma vacina efetiva estiver disponível. Conforme a organização, é altamente provável que os cibercriminosos enviem e-mails falsos em massa relacionados a produtos médicos. Além disso, é igualmente provável que aumente o número de ataques cibernéticos e furtos de dados.

Relatório completo

Clique AQUI para conferir o relatório na íntegra.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Conheça as principais categorias de legaltechs colombianas

Próximo

Como a inteligência artificial está ajudando os departamentos jurídicos