Elementos visuais em petições serão objeto de estudo de pesquisadores

No início da semana foi inaugurado o VisuLaw, o maior grupo de pesquisa sobre Visual Law do Brasil. A iniciativa, que reúne estudantes de Direito, advogados, professores e designers oriundos de diversos estados da Federação, investigará, a partir da próxima semana, o que os magistrados brasileiros pensam a respeito de elementos visuais em petições.

Elementos visuais em petições

Mais de 50 pesquisadores já integram o grupo. A pesquisa, coordenada por mim, será divida em duas etapas. Na primeira (quantitativa), os pesquisadores coletarão dados a partir da metologia survey. Em suma, será encaminhado um questionário a juízes e juízas de todas as unidades federativas, de modo a entender como se posicionam sobre o objeto da pesquisa.

Já segunda etapa (qualitativa) será destinada a entrevistar um grupo reduzido de magistrados, aprofundando o tema. O objetivo, aqui, é compreender porque os elementos visuais (não) são aceitos. Como as perguntas serão abertas, os juízes poderão discorrer abertamente sobre assunto, fornecendo aos pesquisadores mais elementos para análise posterior.

Leia também sobre elementos visuais em petições:

Visual Law: o que pensam os magistrados brasileiros sobre elementos visuais em petições?

elementos visuais em petições 01
Em síntese, mais de 50 pesquisadores já integram o grupo VisuLaw

Mudanças de curso

Embora a metologia inicial tenha sido pré-determinada, mudanças de curso podem ocorrer ao longo da pesquisa. Como o grupo é plural, com pesquisadores de diversos estados e formações, todas as sugestões são bem-vindas. A ideia é abranger magistrados de primeiro grau, mas nada impede que desembargadores e ministros também participem da pesquisa.

Encontros semanais

Os encontros do VisuLaw serão semanais, às segundas e quartas-feiras, a partir das 18 horas. Em resumo, às segundas-feiras as reuniões serão destinadas a discutir sobre os próximos passos da pesquisa. Já às quartas-feiras, os encontros contarão com a participação de convidados especiais, para contribuir com as discussões a respeito do Visual Law.

Deseja participar?

Enfim, se você tem interesse em integrar o VisuLaw, auxiliando a compreender como os magistrados se posicionam em relação a elementos visuais em petições, envie um e-mail para contato@bernardodeazevedo.com. Peço que insira seu nome, profissão e uma breve justificativa (1-2 linhas) contando o porquê do interesse em participar da pesquisa.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Reinventar o escritório de advocacia: se não agora, quando?

Próximo

TJRN investe em sistemas para automatizar ações repetitivas