Escritórios de advocacia devem investir em equipes multidisciplinares

Em recente artigo publicado na Forbes, o consultor jurídico Mark Cohen afirmou que os escritórios de advocacia devem investir em equipes multidisciplinares – formadas não apenas advogados, mas também por profissionais de outras áreas –, para que sejam capazes de atender as demandas de um mercado em constante transformação.

Formando equipes multidisciplinares

Alguns escritórios de advocacia acreditam que, para formar equipes multidisciplinares, basta reunir advogados de diferentes áreas do Direito. Para Cohen, contudo, tal visão é equivocada. Um grupo de advogados de diferentes áreas não é mais capaz de fornecer serviços e produtos jurídicos de forma eficaz na era digital em que estamos vivendo:

Os advogados devem trabalhar em equipe com profissionais aliados envolvidos com o gerenciamento de riscos corporativos – analistas de dados, engenheiros, tecnólogos, especialistas em processos e design. – Mark Cohen

Para atender clientes no mundo digital com competência, eficiência e entrega de resultados, os escritórios devem oferecer mais que advogados e trabalho técnico. Os problemas dos clientes estão cada vez mais complexos, o que exige dos escritórios de advocacia perspectivas multidisciplinares para solucionar as dores dos constituintes:

Os negócios digitais exigem uma força de trabalho habilitada para tecnologia, orientada por dados, ágil, colaborativa, focada no cliente, multidisciplinar, multifuncional, diversa, qualificada e integrada. Não é assim que os advogados são treinados, mas daqui para frente deve ser. – Mark Cohen

O consultor destaca, além disso, que o momento atual está oferecendo novos planos de carreira para aqueles advogados que combinam conhecimento jurídico com outras habilidades. O investimento em saberes múltiplos, de áreas distintas, torna o advogado mais preparado para mercado jurídico, ao mesmo tempo em que amplia oportunidades profissionais.

equipes multidisciplinares 01
Os escritórios de advocacia devem investir em equipes multidisciplinares

É provável que você goste:

Mark Cohen: advogados devem se preparar para as mudanças no setor jurídico

Mentalidade centrada no advogado é inimiga da colaboração

De acordo com Mark Cohen, uma mentalidade centrada no advogado é inimiga da colaboração – característica tão necessária hoje em dia para satisfazer as necessidades dos clientes. Mais do que nunca, é preciso reavaliar e reconfigurar todas as facetas dos escritórios de advocacia, buscando aprimorar a experiência dos clientes de ponta a ponta.

Conforme ele, os escritórios devem investir em tecnologia, processos e pessoas. A aplicação desses conceitos dentro do ambiente de trabalho não é uma tarefa simples, tal qual ligar um interruptor de luz. É necessária uma “reinicialização cultural em todo o ecossistema jurídico”. Mas Cohen acredita que chegaremos lá, sendo mera questão de tempo.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Advogados já podem se preparar para julgamentos com realidade virtual

Próximo

Maior parte da advocacia brasileira aprova as teleaudiências, revela pesquisa