Escritórios de advocacia serão mais colaborativos no futuro, afirma especialista

Em recente entrevista ao site Legal Cheek, a advogada britânica Tara Waters afirmou que os escritórios de advocacia serão mais colaborativos no futuro. De acordo com Waters, que integra o escritório de advocacia multinacional Ashurst LLP, as práticas colaborativas deverão se estender além dos limites do setor jurídico para que surtam efeito:

Os clientes não querem dez soluções para a mesma coisa. Eles querem uma [solução]. Portanto, precisamos conversar muito mais sobre o que funciona melhor para o cliente. O aumento da colaboração será muito positivo para a indústria como um todo. – Tara Waters

colaborativos 01
Para Tara Waters, os escritórios de advocacia serão mais colaborativos no futuro

É provável que você goste:

Escritórios de advocacia devem se tornar multidisciplinares, sugere relatório

Escritórios de advocacia serão mais colaborativos

A especialista destacou que a tecnologia avançou de forma surpreendente nos últimos 20 anos, mas o setor jurídico ainda se mostra resistente ao novo. E uma das razões para tanto é a falta de colaboração entre os grandes players da tecnologia e os escritórios. Mas tudo deve mudar nos próximos anos, sobretudo no mundo pós-pandemia.

Na condição de head da Ashurst Advance Digital, Waters e sua equipe despendem parte do tempo em busca de novas maneiras de incorporar tecnologias aos serviços e produtos do escritório. Só para ilustrar: a especialista vislumbra um amanhã no qual tecnólogos e advogados trabalham juntos para encontrar novas maneiras de ajudar os clientes.

No futuro imaginado por Waters, a tecnologia desempenhará um papel fundamental para aumentar a eficiência dos fluxos de trabalho. O mesmo vale, aliás, para a lucratividade dos escritórios de advocacia. Sendo assim, os avanços tecnológicos poderão ser adotados tanto para automatizar o trabalho quanto para criar novos produtos a clientes e parceiros:

Os clientes estão trazendo para nós novos projetos que antes poderiam [ser entregues] a uma empresa de contabilidade ou consultoria de TI. Mas agora os escritórios de advocacia estão entrando na mistura. – Tara Waters


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Novo relatório britânico explora o futuro dos serviços jurídicos

Próximo

Nova resolução institui laboratório de inovação do STF