Faculdades de Direito devem ensinar tecnologia, sugerem especialistas

A pandemia acelerou a adoção de novas tecnologias em diversas indústrias e setores, incluindo o espaço do ensino jurídico. As lições aprendidas nos últimos meses têm sido determinantes para professores e alunos. Como consequência, alguns educadores já começam a reconhecer a importância de ensinar tecnologia em sala de aula.

Faculdades de Direito devem ensinar tecnologia

A professora de Direito da Universidade Central da Carolina do Norte, April Dawson, acredita que a competência em tecnologia deve integrar as estruturas curriculares. Como reitora de assuntos acadêmicos, ela chegou a incluir novas disciplinas no curso de Direito, para ensinar os alunos a enxergar as diversas áreas do Direito sob o prisma tecnológico.

De acordo com Dawson, a pandemia acelerou a conscientização dos educadores jurídicos sobre a importância de ensinar tecnologia aos alunos. Para ela, as oportunidades do mercado jurídico estarão cada vez mais conectadas à tecnologia. As faculdades de Direito precisam investir no tema, portanto, para que os alunos consigam empregos após a formatura:

Os empregos jurídicos emergentes estão ligados à tecnologia. – April Dawson (Professora de Direito da Universidade Central da Carolina do Norte)

ensinar tecnologia 01
Para April Dawson, a competência em tecnologia deve integrar as estruturas curriculares

É provável que você goste:

Estudantes de Direito devem ter conhecimento sólido de tecnologia

O ensino remoto terá um papel menor em 2022

Michele DeStefano também acredita que o ensino de tecnologia é fundamental nas faculdades, mas pensa que não será pelo ambiente remoto. Conforme ela, o ensino online terá um papel menor em 2022. As pessoas querem dar uma pausa nos cursos online, pois estão há mais de 15 meses olhando para as telas do computador, com pouca interação social.

Para a fundadora do LawWithoutWalls, no próximo ano haverá um foco maior nas pessoas e no desenvolvimento de relações profissionais. Estudantes buscarão estar próximos um dos outros. Profissionais do Direito voltarão a frequentar eventos, cursos e treinamentos presenciais, como faziam antes da pandemia. De acordo com ela,

O mundo está realmente querendo isso. – Michele DeStefano (Fundadora do LawWithoutWalls)

Para Michele DeStefano, a tecnologia jurídica terá papel de destaque nos cursos de Direito

A visão de Michele DeStefano pode não vir a se confirmar sobre a redução do ensino online, mas, caso se confirme, a aposta é de que as faculdades de Direito passarão a oferecer mais noções de tecnologia jurídica. De acordo com ela, a tecnologia jurídica terá papel de destaque nos cursos de Direito, juntamente com a experiência do cliente.


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Com origens nos anos 80, animação forense ganha espaço na advocacia

Próximo

Juiz usa recursos gráficos em resumo de sentença; desembargador elogia