Conheça InteliGov, a plataforma de inteligência legislativa automatizada

Continuo a série de entrevistas com (co)fundadores de lawtechs e legaltechs do Brasil. Em mais uma entrevista da série, recebi a InteliGov, uma plataforma de inteligência em relações governamentais que monitora projetos legislativos. Conversei com o Raphael Caldas, fundador da InteliGov, sobre o funcionamento e os planos para o futuro.

Em síntese, conheça mais detalhes a seguir:

InteliGov 01

1. Em primeiro lugar, como surgiu a InteliGov?

A InteliGov surgiu a partir das minhas necessidades de trabalho. Sou advogado e consultor de relações governamentais, e precisava organizar grande volume de dados e monitorar proposições legislativas de forma ágil e inteligente. Desenvolvi algo para consumo interno e, passados alguns anos, vi a oportunidade de transformá-lo em um produto. Em 2014 a plataforma começou a ser validada e comercializada com o nome de Zenlobby.

É provável que você goste:

Kronoos gerencia riscos e compliance através de uma plataforma intuitiva e inteligente

2. Em resumo, quais são os serviços oferecidos pela startup?

A InteliGov oferece uma plataforma de inteligência em relações governamentais. Monitoramos as casas legislativas federais, as 27 assembleias estaduais e CLDF, além de mais de 15 casas legislativas municipais. O acompanhamento do cenário regulatório também é possível, com dados de um número crescente de órgãos do Executivo, além do Diário Oficial da União.

3. Só para ilustrar: qual é o diferencial da InteliGov em relação às demais startups que oferecem soluções similares?

Oferecemos a maior cobertura automatizada. Vamos mais fundo em cada dado, disponibilizando muitos detalhes de cada parlamentar, de cada votação, de cada proposição legislativa. Além disso, a interface é a mais amigável e o suporte é feito por pessoas com conhecimento do negócio. A experiência de uso é prioridade e o foco de nossos serviços está no cliente. Por ser a empresa pioneira, o produto é o mais maduro, confiável e avançado do mercado brasileiro.

4. Aliás, a InteliGov tem um Propósito Transformador Massivo (MTP)? Se sim, qual?

O nosso propósito é mudar o paradigma das relações entre público e privado no Brasil, tornando-as mais transparentes e fortemente baseadas em dados e inteligência.

É provável que você goste:

Aviso Urgente captura e gerencia movimentações e publicações de processos judiciais

5. Quem são as pessoas por trás da startup?

Além de mim, que fundei a empresa, temos uma equipe formada por advogados e profissionais de relações institucionais e governamentais, com passagens em grandes empresas, além de desenvolvedores de software com experiência em desafios de grande complexidade. Todos aqui devem entender de processo legislativo, política, funcionamento do Estado.

6. Enfim, quais são os planos da InteliGov para os próximos anos?

Nosso objetivo é continuar a traduzir a efetiva necessidade do profissional de relações governamentais em produtos que tragam impactoc concreto e ROI significativo às organizações que interagem com o governo. Enfim, trazer informação acionável e resultado mensurável para o trabalho de relações governamentais é nossa obsessão.


Aliás, você já conhecia a InteliGov?

Deixe seu comentário abaixo!


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

O advogado 4.0 deve enxergar o mundo com abundância (e não com escassez)

Próximo

Freelaw conecta escritórios de advocacia a advogados especializados sob demanda