iProcessum utiliza inteligência computacional para diminuir trabalhos repetitivos dos advogados

Continuo a série de entrevistas com (co)fundadores de lawtechs e legaltechs do Brasil. Mais de 30 startups já compartilharam suas experiências neste site. Na entrevista de hoje recebi a iProcessum, uma plataforma que usa inteligência computacional para diminuir trabalhos repetitivos dos advogados. Conversei com o CEO Renato Carvalhaes sobre o funcionamento e os planos para o futuro.

Conheça, então, mais detalhes da iProcessum:

iProcessum 01

1. Em primeiro lugar, como surgiu a iProcessum?

O iProcessum vem de outra empresa, o Informador Fácil, que está no mercado há 17 anos. Ao longo desses anos tivemos contatos diretos com nossos clientes e pudemos observar vários de seus problemas. A proposta do iProcessum é resolver as dores mais latentes que prejudicam escritórios de advocacia, seja na prestação de seus serviços ou na retenção de seus clientes.

2. Em resumo, quais são os serviços oferecidos pela startup?

Gestão de processos e tarefas com metodologia de gestão, importação de publicações e andamentos processuais de todos os tribunais brasileiros e melhoria na comunicação entre advogados e clientes, dentre outros, como cadastro de processos, clientes, etc.

É provável que você goste:

Jusbrasil pretende revolucionar o acesso à justiça

3. Qual é o diferencial da iProcessum em relação às demais startups que oferecem soluções similares?

Uso de inteligência computacional para diminuir trabalhos repetitivos e melhorar a qualidade do serviço prestado, além de focar na relação com o mercado, aumentando a satisfação dos clientes do escritório e aumentando sua fidelização.

4. Aliás, a startup tem um Propósito Transformador Massivo (MTP)? Se sim, qual?

Nosso propósito é estudar e disponibilizar tecnologias que possam melhorar os processos administrativos de escritórios de advocacia. Além disso, gerar valor para escritórios de advocacia por meio da melhoria na sua comunicação para com seus clientes.

5. Só para ilustrar, quem são as pessoas por trás da startup?

  • Renato Carvalhaes – Graduado em Sistemas de Informação, MBA em Gestão da Competitividade, graduado no Founder Institute, fundador e CEO da empresa Informador Fácil há 17 anos
  • Leonardo Martings – Graduado em Ciências Contábeis com ênfase em Controladoria e Sistemas de Informação, pós-graduações em Modelagem Matemática Computacional, Ciência de Dados e Big Data, Gerência de Projetos de Software e em Gestão Estratégica em Finanças

6. Enfim, quais são os planos da iProcessum para os próximos anos?

Evoluir o produto para atender às necessidades gerenciais de escritórios de advocacia e oferecer soluções voltadas para o atendimento a seus clientes. Enfim, escalar o produto, para alcançar dez mil clientes em três anos.


Aliás, você já conhecia o Jusbrasil?

Deixe seu comentário abaixo!


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Jusbrasil pretende revolucionar o acesso à justiça

Próximo

3 livros estrangeiros para entender o futuro da Advocacia