Com conceitos de metodologias ágeis, Lawgile ajuda advogados a gerenciar times e tarefas jurídicas

Continuo a série de entrevistas com (co)fundadores de lawtechs e legaltechs do Brasil. Na entrevista de hoje, recebi a Lawgile, uma startup que utiliza conceitos de metodologias ágeis para ajudar advogados a gerenciar times e tarefas jurídicas. Desse modo, conversei com o Ariel Schvartz, cofundador da startup, sobre o funcionamento e os planos para o futuro.

Conheça, então, mais detalhes da Lawgile:

Lawgile 01

1. Em primeiro lugar, como surgiu a Lawgile?

Durante 2 anos eu dividi apartamento com um grande amigo meu que é advogado. Eu, como engenheiro de computação, sempre olhava para o dia a dia dele e pensava: “Como é possível que um advogado tão esforçado seja tão pouco eficiente?”. Fora isso, se você parar pra pensar, a natureza do trabalho de um advogado e de um programador é muito parecida, apesar de resultados totalmente diferentes.

No final, os 2 trabalham basicamente escrevendo documentos e seguindo uma série de regras. Vendo isso, comecei a mostrar pra ele algumas das ferramentas e metodologias que nós desenvolvedores usamos para organizar nosso trabalho e deixar tudo mais transparente e eficiente. Porém, existem diversas ferramentas com o foco no desenvolvimento de software, mas nenhuma com o foco no mundo da advocacia.

Daí surgiu a ideia de fazer algo focado em times jurídicos. Para entender a demanda, criamos um curso (com o mesmo nome) em parceria com a Future Law, onde passamos diversos conteúdos sobre metodologias ágeis e colhemos insights e feedbacks importantes para o nosso produto.

É provável que você goste:

Deep Legal monitora, compara e prevê carteiras de ações judiciais

2. Em resumo, quais são os serviços oferecidos pela startup?

Nós desenvolvemos uma ferramenta (ainda em fase de testes) que permite fazer a gestão de times e tarefas jurídicas, aplicando diversos conceitos de metodologias ágeis para ajudar os advogados tanto de escritórios quanto de departamentos jurídicos a serem mais eficientes.

A ideia é centralizar todo o trabalho e comunicação em um único lugar seguro com acesso web e mobile. Sendo assim, todo o time passa a ter acesso ao que o resto do time está fazendo permitindo uma melhor colaboração entre os advogados e métricas para detectar possíveis pontos de melhoria na eficiência dos mesmos.

3. Só para ilustrar: qual o diferencial da Lawgile em relação às demais iniciativas que oferecem serviços/produtos similares?

Durante a concepção do produto, fiz diversas pesquisas no mundo jurídico para mapear os fluxos de trabalho ideais para cada área do direito (consultivo, propriedade intelectual, contencioso de massa, etc…) que permitiram a nós desenvolver os fluxos ideais para cada tipo de time. Nossa ferramenta é bem mais simples que a grande maioria e aplicamos muito tempo com a concepção de design e testes na experiência do usuário.

Não é necessário nenhum conhecimento em metodologias ágeis e nem grande esforço de configuração. Outro grande diferencial são as integrações com as principais ferramentas do mundo jurídico, como o Outlook e Word. Além disso, traremos uma grande novidade para esse tipo de ferramentas que é a comunicação entre diversos escritórios / departamentos jurídicos para permitir a gestão do trabalho de terceiros por meio da plataforma.

4. Aliás, a Lawgile tem um Propósito Transformador Massivo (MTP)? Se sim, qual?

Tornar o mercado jurídico mais eficiente e transparente.

É provável que você goste:

ProJuris auxilia advogados na tomada de decisões jurídicas estratégicas

5. Quem são as pessoas por trás da startup?

Em suma, estas são as pessoas por trás da Lawgile:

  • Ariel Schvartz – Engenheiro de computação especialista em produtos digitais e metodologias ágeis e professor/coordenador do curso Lawgile na Future Law. No mundo de Startups há mais de 10 anos, liderou a construção de mais de 15, entre elas o EAD da Cultura Inglesa, BGC Brasil, BizCapital, Rupee e Witseed.
  • Bruno Feigelson – Doutorando e mestre em Direito pela UERJ. Sócio do Lima ≡ Feigelson Advogados. CEO do Sem Processo. Fundador e Membro do Conselho de Administração da AB2L (Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs). Head de Futurismo da Future Law. Fundador da Lif≡ Aceleradora. CEO da Dados Legais. É professor universitário, palestrante e autor de diversos livros e artigos especializados na temática Direito, Inovação e Tecnologia.
  • Naiara Pellin Ghinzelli – Criadora da marca, interfaces e experiências na Lawgile, a Naiara é uma designer especialista na criação de produtos digitais, tendo atuado na construção de processos e consultoria de criação de mais de 10 startups nos últimos 4 anos.
  • Igor Rocha – Desenvolvedor e entusiasta das metodologias ágeis. Atua no desenvolvimento de aplicações web e na gestão tanto de produtos digitais quanto de times de tecnologia. Anteriormente acumulou as funções de Product Owner e desenvolvedor em startups como Livima, Lemoney e Classpert.

6. Enfim, quais são os planos da Lawgile para os próximos anos?

Nosso lançamento acontecerá no próximo mês. Vamos começar uma parceria com diversos escritórios e departamentos de grandes empresas para colher dados, feedbacks e aprimorar cada vez mais nosso produto, trazendo mais e mais eficiência, transparência e produtividade para o mundo jurídico. Enfim, no longo prazo, pretendemos automatizar diversos momentos do dia a dia de trabalho e isso tudo 100% integrado na ferramenta, permitindo que os advogados foquem no que interessa.


Aliás, você já conhecia a Lawgile?

Deixe seu comentário abaixo!


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

ProJuris auxilia advogados na tomada de decisões jurídicas estratégicas

Próximo

Aviso Urgente captura e gerencia movimentações e publicações de processos judiciais