LawVision oferece soluções de BI para escritórios de advocacia

Continuo a série de entrevistas com (co)fundadores de lawtechs e legaltechs. Até o momento, conhecemos mais de 40 startups jurídicas que vêm transformando o setor jurídico. Hoje, conheceremos a LawVision, plataforma que oferece soluções de business intelligence (BI) para escritórios de advocacia. Conversei com o CEO da startup, Christian Majczak:

Lawvision 01

1. Em primeiro lugar, como surgiu a LawVision?

A LawVision surgiu há quase cinco anos, como uma divisão especializada em analytics para o mercado jurídico da nossa empresa original, a Go4! Consultoria, mas assumiu seu formato atual há pouco mais de dois anos. Viemos uma tradição de trabalhar com gestão por indicadores que remonta a 2.002.

Começamos com governança corporativa, que é um trabalho desenvolvido por meu sócio até hoje e posteriormente criamos uma área de business intellingence para facilitar e acelerar a produção de indicadores de performance, além de facilitar o seu uso.

Como os advogados sempre foram nossos mais importantes parceiros de negócios, começamos a produzir b.i. para alguns deles, até como forma de retribuir o seu apoio. Tomamos tanto gosto pela coisa que hoje estamos presentes em mais de sessenta escritórios e departamentos jurídicos em todo o Brasil.

Se você gostou da LawVision, é provável que você goste:

Turivius oferece soluções de pesquisa jurisprudencial e jurimetria a advogados

2. Só para ilustrar: quais são as soluções oferecidas pela startup?

Fornecemos tecnologia para a produção de KPIs (Key Performance Indicators, Indicadores de Performance Essenciais) para escritórios e departamentos, para ajudar na gestão de temas jurídicos, financeiros e mais recentemente, de gestão de documentos, como complemento ao que os sistemas de gestão para o mercado jurídico oferecem.

Nosso foco são os dados internos, armazenados nos sistemas (temos conexões com os principais sistemas do mercado jurídico brasileiro), que ainda são pouco explorados pelos gestores. Nosso objetivo é plugar e deixar que o cliente não se preocupe com a infraestrutura nem com o conteúdo, e sim com o que é o melhor para o seu negócio. Dá para fazer centenas de cruzamentos com nossa plataforma e descobrir insights importantes em segundos.

3. Em resumo, qual é o diferencial da LawVision em relação às demais startups que oferecem soluções similares?

Temos uma solução abrangente, com preços acessíveis e bem fácil de usar, é só olhar as informações e clicar nos assuntos de interesse dos empresários jurídicos. Mas a grande vantagem de contratar a LawVision, mais do que a tecnologia em si, é a nossa dedicação incansável para estudar a gestão por indicadores.

Só fazemos isso e só pensamos nisso, assim podemos oferecer serviços de ótima qualidade relacionados com esse assunto. Contamos também com excelentes parceiros nas áreas de tecnologia e gestão especializada, que ajudam a completar nosso universo com soluções sinérgicas.

É provável que você goste:

Docato oferece soluções para desburocratizar o back-office dos escritórios de advocacia

4. Além disso, a LawVision tem um propósito transformador massivo (MTP)? Se sim, qual?

Olha, temos um sonho importante que nos motiva, que é melhorar a vida de nossos clientes promovendo o uso de analytics e da cultura da informação. Acreditamos de verdade que quanto mais informadas as pessoas, melhores serão suas decisões e mais tempo elas terão para refletir sobre o futuro e construir uma vida melhor.

Tivemos recentemente alguns depoimentos de clientes sobre como o uso de nossas soluções melhorou sua qualidade de vida e o negócio, como tudo ficou mais fácil, deixando mais tempo para respirar e se concentrar em coisas importantes que às vezes eram deixadas de lado. Isso nos incentiva muito e dá gás para superarmos os desafios na construção dessa visão, que não são poucos.

5. Aliás, quem são as pessoas por trás da startup?

Meu sócio, o Rogério Dequech, graduado em engenharia e especializado em controladoria, fundou a Go4!, na qual ingressei pouco tempo depois. Eu tenho formação em engenharia e ciências contábeis e ambos com especializações em controladoria, por aí você vê o porquê da nossa obsessão por indicadores.

Hoje somos os responsáveis pela empresa. E temos também um investidor da área de tecnologia muito experiente que nos ajuda bastante com sua visão de mercado e incentivo. Temos agora uma nova geração construindo o futuro do negócio, são profissionais jovens e muito talentosos de computação, direito e administração. Pessoas muito competentes já passaram por nossos quadros em diversos momentos da empresa e hoje tocam projetos bem sucedidos em áreas como varejo de moda, construção civil, automotiva, psicologia…

É provável que você goste:

Como as lawtechs e legaltechs estão remodelando a prática jurídica

6. Enfim, quais são os planos da LawVision para os próximos anos?

Queremos multiplicar por dez nossa presença no mercado nacional nos próximos cinco anos, melhorar muito a interação via linguagem natural e mobile para tornar o uso do LawVision ainda mais fácil, triplicar o nosso leque de parcerias e quem sabe, iniciar o atendimento a alguns mercados internacionais. Enfim, é o nosso sonho.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Tecnologias jurídicas facilitam ou dificultam a rotina dos advogados?

Próximo

Serão as lawtechs as novas fintechs?