Legal analytics está perto de seu ponto de inflexão, sugere especialista

Em recente entrevista ao portal jurídico Above The Law, o CEO da LexisNexis North America, Sean Fitzpatrick, afirmou que o legal analytics entendido como o conjunto de técnicas que permitem análises jurídicas baseadas em dados – está entrando em um ponto de inflexão na curva de adoção pelos escritórios de advocacia e departamentos jurídicos.

Advocacia baseada em dados

Conforme Fitzpatrick, a esmagadora maioria dos advogados que adota o legal analytics afirma que ele os torna profissionais melhores. De acordo com o especialista, mesmo advogados que não usam sistemas para análise jurídicas baseadas em dados reconhecem seu valor e acreditam que, caso decidissem utilizá-las, se tornariam profissionais melhores.

ponto de inflexão 01
Conforme Fitzpatrick, o legal analytics está prestes a se difundir em todo mundo

Para o CEO da LexisNexis North America, o legal analytics torna os escritórios de advocacia mais inteligentes, diferenciados e eficientes. Com tais ferramentas, os advogados podem obter insights competitivos e tomar melhores decisões no curso dos processos em que atuam. Isso sem falar na possibilidade de antecipar desfechos e resultados de decisões judiciais:

Ser capaz de entrar em tribunal e saber como o seu juiz decidiu em casos semelhantes no passado e que idioma ou casos ele citou em suas decisões oferecem uma enorme vantagem competitiva. – Sean Fitzpatrick

Legal analytics está perto de seu ponto de inflexão

De acordo com Fitzpatrick, o legal analytics está prestes a se difundir em todo mundo. Em síntese, a técnica está entrando em um ponto de inflexão e logo estará sendo adotada, em massa, pelos escritórios de advocacia e departamentos jurídicos. O setor jurídico será cada vez mais orientado por dados, e os advogados colherão os frutos de tais ferramentas:

Quase todos os escritórios de advocacia que usam legal analytics esperam aumentar ou expandir seu uso no próximo ano. E um número sólido de empresas que não o utiliza planeja investir nos próximos dois anos. – Sean Fitzpatrick

As afirmações de Fitzpatrick são, em boa parte, embasadas nos resultados do 2020 ALM Legal Analytics Survey. A pesquisa, conduzida pela LexMachina em parceria com a empresa ALM Intelligence, coletou opiniões de 163 advogados, para avaliar a adoção do legal analytics pelos escritórios de advocacia. Confira AQUI o levantamento completo.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

TJMG cria laboratório de ciência de dados jurídicos e inteligência artificial

Próximo

Softwares de policiamento preditivo ganham espaço nos EUA