Mais de 90% dos advogados brasileiros não utilizam ferramentas de jurimetria

Uma pesquisa conduzida pela Turivius, em colaboração com a Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV) de São Paulo, revelou que mais de 90% dos advogados brasileiros não utilizam ferramentas de jurimetria. O levantamento, realizado no mês de setembro de 2019, contou com a participação de profissionais dos maiores escritórios do Brasil.

Ferramentas de jurimetria em escritórios de advocacia

A metodologia adotada foi o survey, sendo aplicado, portanto, um questionário a advogados e advogadas de escritórios como Pinheiro Neto, Mattos Filho e Machado Meyer. Embora apenas 19 profissionais tenham respondido o survey, a pesquisa oferece um vislumbre do estado da arte da jurimetria no País. Confira, então, as conclusões da pesquisa:

  • 68% dos respondentes já ouviram falar em jurimetria;
  • 63,2% dos respondentes afirmaram que fazem busca e sistematização do perfil dos magistrados;
  • 89,5% dos respondentes acreditam que a jurimetria pode ajudar no trabalho;
  • 95% dos respondentes não utilizam quaisquer ferramentas de jurimetria.

No quesito vantagens da jurimetria, “ganho de tempo e mais precisão de análise” estiveram entre as opções selecionadas pelos participantes. Além disso, itens como “levantamento mais rápido e decisões sobre os assuntos, tendências dos tribunais, das turmas e até dos Juízes/Desembargadores” foram assinalados pelos respondentes.

ferramentas de jurimetria 01
A metodologia adotada na pesquisa foi o survey

É provável que você goste:

O que a jurimetria pode fazer pelo advogado 4.0?

Reflexões para além da pesquisa

A pesquisa foi conduzida no mês de setembro de 2019, em momento anterior à pandemia. De lá para cá, aliás, tudo mudou. Os escritórios de advocacia tiveram de aprender a manusear ferramentas tecnológicas para continuar suas atividades. Além disso, muitos profissionais passaram a se interessar por temas como Legal Design, Visual Law e inteligência artificial.

Embora a maioria dos escritórios brasileiros ainda não utilize ferramentas de jurimetria, o cenário deve mudar em breve. A advocacia caminha cada vez mais para a cultura data-driven. Com soluções tecnológicas baseadas em jurimetria, os profissionais poderão aprimorar o processo de tomada de decisões, economizar tempo e aumentar seu faturamento.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Projeto de lei institui a Política Nacional de Inteligência Artificial

Próximo

Audiências virtuais abrem espaço para trapaças na prova testemunhal