O melhor conselho que se pode dar a um estudante de Direito, segundo Richard Susskind

Qual o melhor conselho que se pode dar a um estudante de Direito?

Richard Susskind é, seguramente, uma das maiores referências mundiais quando o assunto é o futuro da Advocacia. Nas últimas décadas, ele produziu importantes trabalhos sobre as transformações no mercado jurídico e as novas perspectivas profissionais para os advogados. Em 2013, o professor declarou, de forma ousada, que o mundo jurídico mudará mais nos próximos 20 anos do que mudou nos últimos dois séculos.

Recentemente entrevistado pela Priori, uma rede profissional que conecta advogados corporativos a jovens talentos, Susskind não arredou pé em seu prognóstico. De acordo com ele, se olharmos em retrospectiva para os últimos cinco anos, não há dúvida de que ocorreu um progresso notável no campo jurídico. Na avaliação do professor britânico, o ritmo da mudança está acelerando e a tendência é progredir cada vez mais.

É provável que você goste:

Conectar leis diretamente às nossas mentes será possível no futuro, sugere professor britânico

O melhor conselho que se pode dar a um estudante de Direito

Questionado sobre qual conselho daria aos estudantes de Direito que estão se formando, Susskind declarou:

Estranhamente, é o mesmo conselho que dou aos escritórios de advocacia quando estamos discutindo estratégias de longo prazo. – Richard Susskind

Conforme o professor, os estudantes que desejam ingressar no mundo jurídico devem se perguntam se desejam competir com as tecnologias emergentes ou se desejam construí-las. De acordo com Richard Susskind, muitos profissionais optam por competir. Eles não cogitam um cenário em que serão substituídos pelas novas tecnologias e, portanto, continuam prestando serviços jurídicos de maneira tradicional.

Eu chamo isso de competir com os sistemas, porque o que estamos vendo é o surgimento da tecnologia que oferece uma maneira alternativa de fornecer esses serviços. – Richard Susskind

Competir ou construir?

Susskind não necessariamente considera a competição uma má decisão. Mas, em um mundo no qual as máquinas estão se tornando mais avançadas, construir tecnologias que substituirão muitas das formas atuais de trabalho é estrategicamente mais inteligente. Sendo assim, o professor recomenda fortemente que os jovens se envolvam em negócios que substituirão a maneira como os advogados tradicionais trabalham.

Muitos de vocês decidiram que não querem ser advogados tradicionais e que preferem se envolver em um negócio que está substituindo a maneira como os advogados tradicionais trabalham. Costumo recomendar o mesmo a outros graduados em Direito. – Richard Susskind

O maior e mais rápido progresso tecnológico

Embora críticas ao mercado jurídico sejam constantes, Susskind considera os estudantes de hoje privilegiados. Isso porque estão diante do maior e mais rápido progresso tecnológico da humanidade. Em suma, os futuros advogados têm mais oportunidades de transformar o mercado jurídico do que qualquer outra geração anterior. Mas, para isso, eles devem decidir construir (e não competir com) as tecnologias emergentes.

Como conclui o professor britânico, em tom de provocação:

Você vai mesmo dedicar sua vida a competir com essas tecnologias emergentes? – Richard Susskind


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

5 livros estrangeiros essenciais para entender o futuro da Advocacia

Próximo

3 TEDx Talks essenciais para entender o futuro do Direito