Playtest: como funciona a LinkLei

Se você costuma acompanhar este site, já deve ter lido algum texto do Playtest, quadro no qual experimento, na prática, as soluções oferecidas por lawtechs e legaltechs brasileiras. Hoje é a vez de testar a LinkLei, plataforma dedicada a conectar o mundo jurídico para geração de oportunidades e negócios. Confira, então, mais detalhes da rede social:

Conhecendo a LinkLei por dentro

Ao realizar o login pela primeira vez, o usuário se depara com um dashboard amistoso, de fácil navegação e repleto de recursos. O menu é composto, em síntese, de sete opções, quais sejam, Meu Feed, Plano de Carreira, Empresas, Escritórios, Universidades, Advogados e Ferramentas. Além disso, abaixo do menu há uma barra de pesquisa para rápida navegação:

a linklei 01

Feed

Em qualquer rede social não poderia falar um feed de notícias. Não é diferente na LinkLei. O usuário inicia já a navegação na aba “Feed”, para que possa explorar os conteúdos mais recentes publicados na plataforma. Ao descer o cursor do mouse, o usuário poderá conferir todos os artigos, notícias e modelos de peças disponibilizados pelos demais membros:

a linklei 02

Plano de carreira

Ao selecionar “Plano de Carreira”, o usuário poderá participar de processos seletivos. Em síntese, nesta opção serão apresentadas todas as oportunidades de estágios e vagas abertas em escritórios de advocacia, que são disponibilizadas pelos próprios escritórios cadastros na plataforma. É possível filtrar os resultados da pesquisa por data, categoria e localização:

a linklei 03

Empresas

Nesta opção do menu, serão apresentados todas as empresas cadastradas na plataforma:

a linklei 04

Escritórios

Já nesta opção, serão exibidos todos os escritórios de advocacia cadastrados na plataforma:

a linklei 05

Universidades

Aqui, serão apresentadas todas as universidades, faculdades e centros de ensino cadastrados na plataforma:

Advogados

Nesta opção, serão apresentados todos os profissionais da advocacia cadastros na plataforma:

Ferramentas

Ao selecionar a opção “Ferramentas”, quatro modalidades se apresentam. Em resumo, são elas:

  • Post;
  • Artigo jurídico;
  • Peça e modelo;
  • Grupo de discussão.

Ferramentas da LinkLei: post

Ao clicar em “post”, o usuário é direcionado para uma caixa de texto livre, localizada logo abaixo. Em síntese, a função “post” é destinada a publicações mais rápidas no feed da rede social (para conteúdos mais extensos, há, como veremos adiante, a opção “artigo jurídico”). Além do texto em si, o usuário também pode inserir imagens, links externos e vídeos:

Ferramentas da LinkLei: artigo jurídico

Se o objetivo é escrever conteúdos mais extensos, o ideal é que seja selecionada a opção “artigo jurídico”. Nela, o usuário terá mais opções do que na caixa de texto do “post”. Em resumo, é possível classificar o assunto, acrescentar título e inserir tags, além de utilizar todos os recursos comuns de formatação de texto, tais como negrito, itálico, sublinhado, etc.:

Ferramentas da LinkLei: peças e modelos

Já se o objetivo é compartilhar modelos de petições (próprias ou de outros profissionais), há uma opção específica. Ao clicar em “peças e modelos”, o usuário será direcionado a uma nova aba, na qual poderá compartilhar a petição. Em suma, tanto a caixa de texto quanto os recursos de formatação de texto são semelhante à aba anterior (“artigo jurídico”):

Ferramentas da LinkLei: grupo de discussão

Uma das opções também disponíveis ao usuário é o “grupo de discussão”. Aqui, em resumo, há a possibilidade de discutir temas com os demais membros da comunidade LinkLei. Só para ilustrar: os usuários podem criar novos grupos de discussão, propor novas pautas e publicar comentários. Além disso, a plataforma permite comentários anônimos:

Gamificação

Com objetivo de engajar mais os usuários, a LinkLei utiliza técnicas de gamificação em várias oportunidades na plataforma. Um exemplo é botão alaranjado “Convite seus amigos para o LinkLei e ganhe pontos”. Ao selecioná-lo, aliás, o usuário será direcionado a uma segunda caixa (pop-up), na qual poderá convidar amigos através das redes sociais:

O usuário também ganha pontos ao publicar novos conteúdos na rede social, como posts, artigos jurídicos, peças e modelos. Quanto mais pontos o usuário ganha, aliás, mais destaque recebe. Sendo assim, quando alguém procurar por um advogado na plataforma, a partir da cidade ou especialidade, será exibido o perfil do profissional com mair pontuação.

Perfil verificado

É comum enxergar no Instagram perfis com um selo de verificação. A mesma lógica acontece na LinkLei, mas com um plus: usuários verificados aparecem na consulta do Google, enquanto usuários não verificados, não. Para verificar o perfil, é necessário enviar a foto da OAB. A plataforma verificará, então, a regularidade junto ao Cadastro Nacional de Advogados:

Conclusão

Essas são, em suma, as principais ferramentas da plataforma. Destaco que este não é um conteúdo patrocinado pela LinkLei. O quadro Playstest tem caráter educativo-informativa, com objetivo de apresentar aos profissionais do Direito as soluções tecnológicas existentes no mercado brasileiro, em suas mais diversas categorias.

Aliás, você já conhecia a LinkLei?

Enfim, não deixe de ler AQUI a minha entrevista com a startup.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Entenda por que a pandemia mudará a prática jurídica para sempre

Próximo

LDSOFT oferece soluções de gestão e acompanhamento de processos de propriedade intelectual