Procuradores federais apostam em vídeos para se comunicar melhor com juízes

Compartilhe este conteúdo

A Advocacia-Geral da União (AGU) está atravessando um movimento de transformação digital desde o início da pandemia. O órgão vem apostando em novas técnicas, dentre elas o Visual Law, para aprimorar a comunicação com o Poder Judiciário. Há inclusive um canal no YouTube com vídeos gravados pelos próprios procuradores federais.

Procuradores federais apostam em vídeos

Em síntese, os procuradores estão gravando vídeos curtos, entre três a cinco minutos de duração, para explicar argumentos jurídicos aos magistrados. Além de ser juntados nos autos dos processos judicias, os materiais são disponibilizados integralmente no canal do YouTube, aumentando a transparência em relação ao trabalho realizado.

Conforme a procuradora federal Cristiane Rodrigues Iwakura, que vem ajudando a difundir o movimento dentro da AGU:

O projeto Linguagem Jurídica Inovadora representou algo muito além de simples uma iniciativa para o desenvolvimento de petições com as técnicas do Visual Law. Este projeto veio para concretizar um verdadeiro movimento de transformação digital entre os membros da AGU. – Cristiane Rodrigues Iwakura

procuradores federais 01
Os procuradores federais estão gravando vídeos para se comunicar melhor com os juízes

É provável que você goste:

AGU lança projeto para transformar a linguagem dos documentos jurídicos

De acordo com Cristiane, diversos procuradores federais tiveram o primeiro contato com o Legal Design e Visual Law a partir do projeto. Além disso, o manuseio de recursos tecnológicos se intensificou desde o lançamento da iniciativa. Na avaliação da procuradora, todas essas técnicas pode trazer melhorias na comunicação e nas atividades da AGU.

Já para Antonio Carlos Mota Machado Filho e Alexandra da Silva Amaral, que estão à frente da iniciativa:

O projeto reforça o acesso à Justiça, na medida em que, ao abdicar de formalismos e tecnicidades excessivas, ressalta a importância na simplificação na comunicação e no foco no usuário final dos serviços públicos. Ele se iniciou com as dificuldades trazidas pela pandemia, mas hoje já tem uma abrangência muito maior, possibilitando um maior acesso e flexibilidade dos advogados públicos e dos magistrados. – Carlos Mota Machado Filho e Alexandra da Silva Amaral

Acesse o Canal

Clique AQUI para ver os vídeos gravados pelos procuradores federais.


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Bernardo de Azevedo

Advogado. Doutorando em Direito (UNISINOS). Mestre em Ciências Criminais (PUCRS). Especialista em Computação Forense e Segurança da Informação (IPOG). Professor dos Cursos de Pós-Graduação em Direito da Universidade FEEVALE e da Universidade de Caxias do Sul (UCS).
Rolar para cima
× Como posso te ajudar?