TJPI inaugura seu próprio laboratório de inovação

O Tribunal de Justiça do Piauí (TJPI) lançou recentemente seu próprio laboratório de inovação, com objetivo de melhorar os processos existentes, fomentar a cultura de inovação, aumentar a produtividade e desenvolver soluções inovadoras. Batizada de Opala Lab, a iniciativa foi instituída pela resolução nº 203/2021 e aprovada pelo Pleno do TJ-PI.

É provável que você goste:

Conheça IluMinas, o laboratório de inovação da JFMG

TJPI já conta com seu próprio laboratório de inovação

Em síntese, o laboratório será um espaço de integração, experimentação e criação conjunta. O ambiente contará com a participação ativa de magistrados e servidores, utilizando metodologias ágeis e práticas colaborativas para desempenhar suas atividades. Entre as técnicas que serão adotadas está o design thinking, para prototipar soluções inovadoras.

Conforme a Secretária de Gestão Estratégica do TJPI, Lanny Cléo, a implantação do Opala Lab é uma das prioridades da gestão 2021-2022 da corte. A nova gestão é baseada em quatro pilares: eficiência, inovação, resolutividade e estratégia. A expectativa, aliás, é de que tais diretrizes contribuam para oferecer uma melhor prestação jurisdicional.

É um trabalho conjunto, uma soma de esforços. – Lanny Quadros (Secretária de Gestão Estratégica do TJPI)

próprio laboratório 01
O laboratório foi, em suma, instituído pela resolução nº 203/2021

É provável que você goste:

TRE-SE inaugura laboratório de criatividade e inovação

Mais sobre o Opala Lab

Estão entre as atribuições do laboratório de inovação: realizar ações para compartilhamento de conhecimentos e ideias; promover cursos e treinamentos; elaborar projetos ligados à Agenda 2030, da Organização das Nações Unidas (ONU); identificar os desafios de atuação no TJ-PI; e desenvolver soluções para os problemas relacionados aos serviços judiciais.

O nome Opala Lab é uma homenagem ao mineral encontrado na cidade de Pedro II, ao norte do estado do Piauí.


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Ucrânia terá tribunais online para julgar pequenas causas

Próximo

Faculdades de Direito devem reimaginar o ensino jurídico, afirma especialista