TJRR inaugura laboratório de inovação e inteligência

O Tribunal de Justiça de Roraima (TJRR) inaugurou seu próprio laboratório de inovação e inteligência. Batizada de Inovajurr, a iniciativa foi projetada para estimular o planejamento de soluções para atender às demandas apresentadas pela sociedade roraimense, além de oferecer condições para que os servidores do Judiciário possam inovar.

Laboratório de inovação e inteligência

Conforme Tainah Westin, a diretora-geral do TJRR, o Inovajurr é um espaço para estimular a inovação. O ambiente, que segue a pauta global da Agenda 2030 da ONU, foi concebido com cores adequadas e estímulos cerebrais para promover a criatividade. Além disso, o mobiliário e os equipamentos são modernos e facilitam a construção de soluções:

É um espaço que estimula a criatividade, inovação e soluções para diversos casos, como, por exemplo, de problemas que a forma natural de conduzir não consegue, às vezes, solucionar tão rápido. – Tainah Westin (Diretora-geral do TJRR)

Segundo a secretária de Gestão Estratégica do TJRR, Inaiara Sá, o Inovajurr busca aproximar o Judiciário da sociedade. É como se fosse uma “sala para solucionar demandas da sociedade de forma simples e rápida”. O espaço informal de conversa e de pensamento livre oferecida pelo Inovajurr permitirá a criação de soluções úteis para a população.

De acordo com Mozarildo Cavalcanti, atual presidente do TJRR,

Estamos concretizando em um espaço físico a inovação. Muitos dos êxitos que o tribunal teve nesses últimos dois anos decorrem da inovação adotada por magistrados, servidores e pelas unidades de direção do tribunal. O espaço segue tendência moderna no ambiente corporativo, que é a busca por soluções inovadoras para as demandas recebidas. – Mozarildo Cavalcanti (Presidente do TJRR)

laboratório de inovação e inteligência 01
O Inovajurr é um espaço para estimular a inovação (Crédito: Orib Ziedson)

É provável que você goste:

CJF e CNJ firmam termo de cooperação para promover Justiça 4.0

Competências do Inovajurr

Caberá ao Inovajurr, em síntese, implementar planos de ação com soluções voltadas à melhoria da gestão pública; elaborar medidas para evitar a judicialização excessiva; mapear programas e projetos de inovação desenvolvidos no âmbito do Judiciário; bem como estabelecer conexões com outros laboratório de inovação e centros de inteligência.

Além do TJRR, os Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), do Ceará (TJCE), do Distrito Federal (TJDF), de Minas Gerais (TJMG) e do Paraná (TJPA) também já implementaram seus próprios laboratórios de inovação. Tenho monitorado as iniciativas do Poder Judiciário brasileiro e, em breve, retornarei com mais conteúdos relacionados ao tema.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Pandemia terá impactos duradouros na advocacia, sugere pesquisa

Próximo

TJRS adota recursos visuais para facilitar acesso das partes às audiências virtuais