DirectData ajuda advogados que procuram agilidade e segurança no processo de tomada de decisão

Continuo a série de entrevistas com (co)fundadores de lawtechs e legaltechs do Brasil. Em mais uma entrevista da série, recebi a DirectData, uma plataforma que ajuda advogados que procuram agilidade e segurança no processo de tomada de decisão. Conversei com o Agustin Sylvester, CEO da startup, sobre o funcionamento e os planos para o futuro.

Conheça, então, mais detalhes da DirectData:

DirectData 01

1. Em primeiro lugar, como surgiu a DirectData?

Historicamente, o mercado de risco tem sido dominado por 5 grandes players e sobrado pouco espaço para novos entrantes. A DirectData iniciou as atividades em 2016 inserida em uma conjuntura econômica de recessão, crise fiscal e disparada da inadimplência, gerando um movimento nas PME (pequenas e médias empresas) de busca de alternativas menos onerosas e customizáveis à realidade deles.

2. Em síntese, quais são os serviços oferecidos pela startup?

A DirectData é uma solução SaaS que auxilia empresas na mitigação de riscos. Atendemos os setores de compliance, due diligence, crédito, fiscal, KYC, KYE e governança. Fazemos isso disponibilizando mais de 300 consultas que são realizadas nos portais de origem (dados públicos) e entregamos as informações via API rest em tempo real integrado ao ERP dos clientes.

3. Qual o diferencial da DirectData em relação às demais iniciativas/startups que oferecem produtos/serviços similares?

A maior diferença encontra-se na tecnologia utilizada para criar um ambiente confiável e escalável possibilitando mais de 100.000.000 de consultas mês. Outro fator determinante é o suporte. Uma estrutura complexa como a nossa exige agilidade para resolver problemas, buscamos desburocratizar processos e canais de contato entre os clientes e o suporte.

É provável que você goste:

Com processamento de linguagem jurídica, JurisIntel ajuda advogados na tomada de decisões

4. Aliás, a DirectData tem um Propósito Transformador Massivo (MTP)? Se sim, qual?

Nosso propósito continua o mesmo que 3 anos atrás, quando imaginamos uma empresa que ajude aos pequenos e médios empresários a reduzir perdas com o mesmo nível de exigência e qualidade que uma grande empresa demanda.

5. Em resumo, quem são as pessoas por trás da startup?

Agustin Sylvester é o fundador e CEO da DirectData. Agustin tem 25 anos de experiencia como cientista de dados e os últimos 10 como empreendedor em empresas de tecnologia da informação voltadas para governança, risco e compliance.

6. Enfim, quais são os planos da DirectData para os próximos anos?

Nosso desafio é trazer os melhores profissionais do mercado (desenvolvedores, comerciais e atendimento) para que em menos de 5 anos possamos ser referência em latinoamerica. A expansão internacional já está sendo executada, começando com Argentina e México.


Aliás, você já conhecia a DirectData?

Deixe seu comentário abaixo!


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Visual Law: como usar vídeos, infográficos, fluxogramas e storyboards em petições

Próximo

2 disciplinas que deveriam ser obrigatórias em todo curso de Direito