Escavador oferece soluções de acompanhamento de processos e monitoramento de Diários Oficiais

Continuo a série de entrevistas com (co)fundadores de lawtechs e legaltechs do Brasil. Na entrevista de hoje, recebi o Escavador, uma plataforma que oferece soluções de acompanhamento de processos e monitoramento de Diários Oficiais. Conversei com o Bruno Souza, CEO da startup, sobre o funcionamento do Escavador e os planos para o futuro. Conheça, então, mais detalhes do Escavador:

1. Em primeiro lugar, como surgiu o Escavador?

Éramos três recém-formados na Universidade no Curso de Ciências da Computação. Tínhamos vontade de fazer uma startup, já que era o movimento da moda. Por sorte, tinha um edital aberto para fazer parte de uma incubadora de empresas. Passamos e fomos para essa incubadora sem uma ideia e sem dinheiro. Passamos 3 meses fazendo uma rede social de motivação, chamada Motivit.

A ideia era juntar pessoas que tinham meta em comum para que elas pudessem se ajudar. Por exemplo, a pessoa quer emagrecer, então ela faria parte de uma comunidade e poderia trocar dicas, contratar um coach… Tínhamos a mente de engenheiros e, na nossa cabeça, se fizéssemos um produto bom, as pessoas irias aparecer e pagar.

Quando lançamos o produto percebemos que tudo que fizemos estava errado. Quem iria pagar? Como as pessoas iam conhecer o produto? Ele estava resolvendo a dor de quem? Foi uma boa lição. Quebramos feio a cara. Em um mês, tínhamos 100 usuários ativos e nenhuma perspectiva de como ganharíamos dinheiro com aquele produto. Mas naquelas brincadeiras, descobrimos algo curioso.

É provável que você goste: 

Taxcel oferece soluções para a leitura e edição de arquivos do SPED

Em um conhecido site de noticias, existia a possibilidade de comentar as notícias de forma anônima. Isso abria portas para que as pessoas escrevessem coisas bastantes interessantes, sob a promessa do anonimato. Desde confissões de infidelidade, passando por piadas, até confissões de crimes. Mas, analisando o comportamento do site, descobrimos que tinha como saber o nome real da pessoa que fez o comentário. Ela só estava escondida.

Por brincadeira fizemos um site que compilava todos esses comentários junto com o nome real da pessoa. Em dias tínhamos milhares de usuários acessando o site todos os dias. Comparado com o outro produto, ficamos impressionados. Mas claro que esse site deu um problema gigantesco. Semanas depois já tinham pessoas ligando com ameaças de morte, e o site foi tirado do ar.

Mas, com isso, ficou plantado a semente de que as pessoas procuram o nome das outras e eram carentes de informação. Dessa vez contratamos um advogado e pesquisamos que informações seriam legais. Chegamos aos Diários Oficiais, que são públicos pela Constituição, e assim nasceu o Escavador. Hoje nossa missão é outra: queremos ser o melhor assistente jurídico do Brasil, mas nossa origem foi como um agregador de informações jurídicas.

2. Em síntese, quais são os serviços oferecidos pela startup?

Com o nosso produto público, que qualquer pessoa pode usar entrando no escavador.com, queremos ser o melhor assistente jurídico do Brasil. Quem tem um processo, ou tem o risco de ter, precisa ter o Escavador. Com o Escavador conseguimos monitorar centenas de fontes para informar uma pessoa ou empresa assim que alguém abrir um processo contra ela.

O usuário consegue organizar os processos que tem e assim que uma movimentação acontece, ele é notificado muitas vezes em minutos da movimentação. Outro sistema que está em testes é a busca de jurisprudência e legislação. Queremos fazer de uma forma tão intuitiva, que essa pessoa, leiga ou não no direito, consiga entender o que diz a lei e os precedentes.

Nosso outro braço é o de integração da nossa tecnologia com parceiros. Imagine que você percebeu um problema da gestão do seu escritório jurídico e crie um software para resolver essa dor. Pode ser que você precise de uma tecnologia que já temos, seja acessar as informações processuais em um dos mais de 100 tribunais eletrônicos do Brasil, monitorar um cliente para saber assim que um processo foi distribuído, ou precisa converter um documento, classificar o tipo de um documento, extrair as partes de um processo…

Enfim, tudo isso são casos reais em que nossos parceiros podem contar com a nossa tecnologia a partir do nosso sistema de API.

3. Qual é o diferencial do Escavador em relação às demais startups que oferecem soluções similares?

Acredito que o nosso maior diferencial é a qualidade e a gama crescente de serviços que oferecemos. Queremos ser o único local que uma pessoa precise utilizar para tudo relacionado a justiça. Acredito ser uma das poucas empresas do mercado que domina todas as partes necessárias do processo com tecnologia própria.

Todos os robôs; o sistema para resolver CAPTCHA e RECAPTHA (respondemos na casa e não terceirizamos); o algoritmo de OCR (conseguimos ler documentos escaneados, e a camada do texto dos PDFs); os algoritmos de inteligência artificial para extração dos dados e os sistemas de aplicativo e Web, foram feitos e mantidos por nossa equipe. Tenho muito orgulho disso, pois somos uma equipe muito pequena. Esse domínio permite ter um nível incrível de qualidade, custo e velocidade.

4. Aliás, o Escavador tem um Propósito Transformador Massivo (MTP)? Se sim, qual?

Vamos ser o melhor assistente jurídico digital. Nosso objetivo final é que o Escavador seja um assistente que ajude de maneira natural com qualquer problema relacionado à justiça. Imagine que pelo seu celular você pudesse conversar com o Escavador para explicar um problema e ele te mostrasse seus direitos e te orientasse a abertura do processo.

Assim que o processo fosse aberto, o Escavador acompanharia e te explicaria cada passo, mostrando quanto tempo vai demorar e a probabilidade que você tem de êxito, baseado no estudo das peças, da jurisprudência, as leis vigentes e o entendimento histórico daquele tribunal.

5. Só para ilustrar: quem são as pessoas por trás da startup?

Somos 14 Baianos, um time pé no chão, correria e cada dia mais diversos (e fit).

6. Enfim, quais são os planos do Escavador para os próximos anos?

O plano é foco. Estamos trabalhando muito com produto, escutando as necessidades dos nossos clientes. Trabalhamos fortemente agora com o nosso time de Inteligência Artificial, que está correndo bastante para alcançar os nossos planos.


Então, você já conhecia a Escavador?

Deixe seu comentário abaixo!


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Você contrataria um paralegal?

Próximo

Os 3 estágios de interação dos advogados com a tecnologia