7 livros essenciais sobre Direito e Inteligência Artificial

O mercado editorial brasileiro lançou relevantes obras sobre Direito e Inteligência Artificial nos últimos anos. Em sua maioria, os livros são organizados em forma de coletâneas, reunindo artigos de autores diversos e compartilhando olhares multidisciplinares acerca do tema. Conheça hoje sete livros essenciais sobre Direito e Inteligência Artificial (IA):

7 livros essenciais sobre Direito e Inteligência Artificial

Vamos, então, às indicações:

1. Inteligência Artificial e Processo (2019)

O livro, organizadora por Isabella Fonseca Alves, discute os pressupostos e riscos da implementação da IA no Direito. A coletânea reúne, em resumo, artigos escritos por magistrados, advogados e especialistas em Direito e tecnologia. Entre os temas explorados estão, só para ilustrar: decisões algorítmicas, jurimetria e tutela de dados processuais.

  • Clique AQUI para saber mais sobre o livro.

direito e inteligência artificial 01

2. Inteligência Artificial Aplicada ao Processo de Tomada de Decisões (2020)

Coordenada por Henrique Alves Pinto, Jefferson Carús Guedes e Joaquim Portes de Cerqueira César, a obra abrange diversas perspectivas sobre a IA aplicada ao Direito. Sob uma ótica multidisciplinar, em resumo, a coletânea conta com a participação de autores estrangeiros, profissionais de áreas distintas e pesquisadores de instituições relevantes no Brasil.

  • Clique AQUI, aliás, para saber mais sobre o livro.

direito e inteligência artificial 02

3. Ensinando um Robô a Julgar (2020)

Escrito por Alexandre Morais da Rosa e Daniel Henrique Arruda Boeing, o livro explora a discussão em torno da implementação de técnicas de machine learning na administração da Justiça. A obra elenca, em resumo, três tipos de usos recorrentes do aprendizado de máquina, sendo eles o Robô-Classificador, o Robô-Relator e o Robô-Julgador.

  • Clique AQUI para saber mais sobre o livro.

direito e inteligência artificial 03

É provável que você goste:

Inteligência artificial no Poder Judiciário

4. Inteligência Artificial e Direito (2020)

O livro, organizado por Ana Frazão e Caitlin Mulholland, é dividido em três partes. A primeira, em síntese, trata da compreensão da IA e dos seus pressupostos de controle e regulação. A segunda parte, só para ilustrar, aborda a responsabilidade das pessoas que criam e utilizam sistemas de IA. Já a terceira parte elenca cases de aplicação da IA no Direito.

  • Clique AQUI, aliás, para saber mais sobre o livro.

direito e inteligência artificial 04

5. Inteligência Artificial e Direito Processual (2021)

Organizado por Dierle Nunes, Erik Navarro Wolkart e Paulo Henrique Lucon, a obra reúne artigos de pesquisadores de programas brasileiros de pós-graduação em Direito, além de professores estrangeiros. Entre os temas abordados estão, em síntese: resolução online de conflitos, blockchain, jurimetria, vieses algorítmicos e compartilhamento de dados.

  • Clique AQUI para saber mais sobre o livro.

6. Manual de Inteligência Artificial no Direito Brasileiro (2021)

Escrito por Fernanda de Carvalho Lage e publicado há poucos meses, o livro oferece desde noções introdutórias ao tema (tais como tipos de IA, vantagens e desvantagens, questões éticas), até questões mais aprofundadas (tais como a justiça preditiva, a discriminação algorítmica e o debate em torno da utilização da IA no âmbito do Poder Judiciário).

  • Clique AQUI, aliás, para saber mais sobre o livro.

É provável que você goste:

Projetos com Inteligência Artificial no Poder Judiciário

7. Direito Digital e Inteligência Artificial (2021)

A coletânea, organizada por Felipe Braga Netto, José Faleiros Jr., Mafalda Barbosa e Michael Silva, aborda os desafios em torno da IA e sua conexão com o Direito. Só para ilustrar: a obra abrange desde aspectos introdutórios até discussões mais complexas, tais como as relações da IA com as nanotecnologias, com os drones e também com os carros autônomos.

  • Clique AQUI para saber mais sobre o livro.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Tribunais devem focar na experiência dos usuários, afirma organização

Próximo

O que os juízes pensam sobre elementos visuais em petições?