Conheça as principais categorias de legal techs australianas

No ano de 2017 foi lançada a Australian Legal Technology Association (ALTA). A iniciativa, que busca formar um ecossistema de empresas de tecnologia jurídica para compartilhar informações e desenvolver soluções tecnológicas, impulsionou o cenário jurídico da Austrália de maneira sem precedentes. Desde o lançamento da ALTA, as legal techs australianas vêm recebendo atenção e investimentos de grandes players.

Só para ilustrar: a Persuit, uma plataforma de gestão de escritórios de advocacia, agora conta com a Microsoft e a Walmart entre seus principais clientes. Já a empresa de automação jurídica Plexus, com sede em Melbourne, chamou a atenção da gigante KMPG, que assumiu participação acionária por US$ 3,26 milhões. A aliança estratégia entre as empresas, aliás, deve transformar o mercado jurídico australiano nesta década.

É provável que você goste:

Conheça 7 categorias de lawtechs e legaltechs brasileiras

Categorias de legal techs australianas

À semelhança da Associação Brasileira de Lawtechs e Legaltechs (AB2L) em nosso País, a ALTA organiza programas e eventos para beneficiar membros, advogados e a comunidade jurídica como um todo. Em 2019, a associação realizou o ALTACON LegalTech Conference. Em suma, o evento contou com a participação de 40 palestrantes, além de um público de mais de 200 pessoas, entre estudantes, advogados e empreendedores.

Decidida a transformar o mercado jurídico, a ALTA também está mapeando todo o ecossistema de startups jurídicas no cenário australiano. Atualmente, mais de 100 legal techs já operam no país, em 20 categorias específicas, como acesso à justiça, compliance, automação de documentos e legal analytics. Em síntese, conheça a seguir todas as categorias (com os nomes originais) e o número de startups em cada uma delas:

legal techs australianas 01

É provável que você goste:

Conheça as principais categorias de legaltechs dos países nórdicos

O mercado jurídico estaduniense, que hoje abarca alguma das maiores empresas de tecnologia jurídica do mundo, pode estar com seus dias contados. Países como Austrália, França, Índia, Japão e Mongólia estão rapidamente consolidando espaço no “novo mundo” do Direito e aumentando seus esforços a uma velocidade exponencial. Enfim, a “decolagem” deve ocorrer muito em breve! Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

3 sites sobre Direito, inovação e tecnologia para acompanhar em 2020

Próximo

2 cursos online gratuitos de programação para advogados