Conheça IluMinas, o laboratório de inovação da JFMG

A Justiça Federal de Minas Gerais (JFMG) lançou seu próprio laboratório de inovação. O IluMinas será um espaço para estimular a criatividade, inovação, colaboração e cocriação, sempre buscando aprimorar a prestação de serviços ao público. O evento de lançamento ocorreu na última sexta-feira (19), em formato híbrido – parte presencial, parte virtual.

Lançamento do IluMinas

Confira o evento de lançamento do IluMinas:

É provável que você goste:

Conheça mais detalhes do Labee9, o laboratório de inovação do TJRS

Conforme a juíza federal Vânila Cardoso André de Moraes, o laboratório já possui três projetos em andamento. O primeiro, em suma, está relacionado à sustentabilidade; o segundo, à economia de gasto público; e o terceiro, em parceria com o Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), vinculado à gestão de demandas repetitivas e sistema de precedentes.

De acordo com a magistrada federal, o conceito do laboratório surgiu em 2020, antes mesmo da estrutura física. Durante os primeiros meses de pandemia, mais de 300 servidores da JFMG se capacitaram e aprenderam a partir das experiências do Laboratório de Inovação da Justiça Federal de São Paulo (iJuspLab), o primeiro lançado em solo brasileiro.

IluMinas 01
O laboratório já possui três projetos em andamento

Ainda conforme Vânila, o IluMinas terá como objetivos: exercitar as atividades em rede; incentivar o compartilhamento de novas práticas e tecnologias; melhorar os fluxos jurisdicionais; e também aprimorar as experiências relacionadas à prestação dos serviços públicos. Como conclui, aliás, a magistrada federal Vânila Cardoso André de Moraes,

O iluMinas surge em sintonia com o movimento nacional da inovação que o Brasil e o mundo estão passando. Além das diversas orientações normativas existentes no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), quanto à necessidade de criação de Laboratórios e Centros de Inteligência para a materialização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), o estado de Minas Gerais carecia de um espaço físico e virtual que oportunizasse a criação desses projetos. –  Vânila Cardoso André de Moraes


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Softwares de rastreamento ocular identificam alunos que colam em provas

Próximo

Dubai está criando um “tribunal espacial” para solucionar disputas comerciais