Conheça mais detalhes do Labee9, o laboratório de inovação do TJRS

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJRS) lançou seu próprio laboratório de inovação. Integrantes da Comissão de Inovação da corte gaúcha (INOVAJUS) apresentaram, na última semana, o Labee9. O objetivo é integrar diferentes perspectivas e criar um lugar de experimentação e cocriação de soluções, com foco no usuário.

Labee9, o laboratório de inovação do TJRS

Conforme o presidente do INOVAJUS, Desembargador Ricardo Pippi Schmidt, é necessário conectar todo o TJRS e ouvir quem está na linha de frente entendendo aas necessidades dos jurisdicionados. A pretensão, de acordo com Ricardo Pippi Schmidt, é de que o laboratório “trabalhe em formato de rede de colaboradores, com foco nas pessoas”.

A atuação do Labee9 será, em síntese, multidisciplinar e em rede. O escopo é conectar instâncias, setores e órgãos do Poder Judiciário gaúcho e parcerias públicos-privadas (PPP’s), “utilizando métodos modernos, centrados na experiência de magistrados e servidores”. De acordo com a coordenadora executiva do laboratório de inovação, Sheron Garcia Vivian:

Precisamos do apoio e da colaboração de todos para formatarmos uma rede multidisciplinar, horizontal e integrativa que propicie a interação e a troca de conhecimento entre magistrados, servidores e demais integrantes do sistema de justiça. Precisamos contar com a rede de colaboradores do Labee9 para a criação do futuro do Poder Judiciário gaúcho. – Sheron Garcia Vivian (Coordenadora Executiva do Labee9)

A identidade visual do Labee9 nos remete à ideia de uma colmeia de abelhas (daí o sufixo bee). Os insetos voadores são considerados símbolos da cooperação e do trabalho em rede, valores que deverão integrar as atividades do laboratório. O Labee9 será administrado por integrantes da comissão de inovação (INOVAJUS), que formarão o comitê gestor.

Labee9 01
O TJRS deve lançar, em breve, seu laboratório de inovação

É provável que você goste:

TJRS lança projeto para simplificar a redação dos documentos jurídicos

Outros laboratórios de inovação

Os tribunais brasileiros estão investindo em laboratórios de inovação, com objetivo de desenvolver metodologias para aprimorar a atividade jurisdicional e os serviços oferecidos aos jurisdicionados. Entre os que já inauguraram seus laboratórios estão, em suma, estados como Rio de Janeiro, Maranhã, Roraima, Minas Gerais, Paraná, entre outros.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Mercado global de tecnologia jurídica cresce em ritmo acelerado

Próximo

Inteligência artificial no Poder Judiciário