Irlanda do Norte revela sua visão para o futuro dos tribunais

O Northern Ireland Courts and Tribunals Service (NICTS), vinculado ao Departamento de Justiça da Irlanda do Norte, lançou um paper apresentando sua visão para o futuro dos tribunais. O documento descreve como a tecnologia será usada para transformar a maneira como as cortes são projetadas e os serviços judiciais são entregues aos cidadãos.

A visão da Irlanda do Norte

Os cidadãos norte-irlandeses há tempos vinham manifestando suas inconformidades com os serviços judiciais. Por décadas, os tribunais negaram o problema e se preocuparam apenas em apagar os incêndios. Mas a pandemia trouxe à tona a necessidade de reiniciar as cortes  e, de pouco em pouco, reconfigurar processos, procedimentos e fluxos de trabalho.

Com tantas mudanças na última década, especialmente em torno da tecnologia, devemos novamente inovar. A justificativa para modernizar o sistema de justiça agora é convincente. (…) Estamos empenhados em fornecer um alto padrão de justiça dentro da Irlanda do Norte. – Modernising the Courts and Tribunals in Northern Ireland

Como revela o documento, os tribunais norte-irlandeses estão prontos para abraçar a tecnologia de forma adequada, utilizando-a para transformar a maneira como os cidadãos têm acesso aos tribunais. Para beneficiar todos os interessados, os sistemas de justiça serão modernizados. Além disso, vão oferecer suporte físico e virtual aos jurisdicionados.

É provável que você goste:

Novo relatório britânico explora o futuro dos serviços jurídicos

Reimaginando os serviços judiciais

Os tribunais da Irlanda do Norte pretendem reimaginar os serviços judiciais. Causas de baixo valor ou de menor complexidade serão analisadas com celeridade; e as partes terão opções para resolver seus conflitos. Em síntese, os cidadão terão mais facilidades, economizando tempo e sofrendo menos com os impactos causados pelos processos.

O NICTS está, portanto, pensando alto e longe. Os objetivos são diversos, mas abrangem, em resumo: melhorar o acesso à Justiça por meio da tecnologia; redesenhar os processos de entrega dos serviços; reconfigurar os tribunais físicos para atender as demandas dos novos tempos; e oferecer o suporte necessário para partes, servidores e magistrados.

Irlanda do Norte 01
Os tribunais da Irlanda do Norte pretendem reimaginar os serviços judiciais

É provável que você goste:

Susskind: audiências por vídeo não são a resposta para o futuro dos tribunais

Beneficiando genuinamente todos os usuários

O paper conclui, em suma, que todas as reformas propostas buscam melhor atender as necessidades de todos que usam os tribunais. O NICTS reconhece que os desafios são muitos, mas entende ser possível beneficiar genuinamente todos os usuários, por meio da colaboração com parceiros e todos os interessados em aprimorar os serviços judiciais.

Clique AQUI para ler o documento na íntegra.


Enfim, quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

O que os profissionais do Direito esperam de 2021?

Próximo

Uso de drones com reconhecimento facial preocupa especialistas