Por dentro do mercado de tecnologia jurídica da Índia

A Índia vem atravessando o que alguns especialistas denominam boom de startups. Iniciativas dos mais diversos segmentos estão sendo desenvolvidas no país, pavimentando o solo para soluções focadas no setor jurídico. Conforme o Indian Legal Tech (ILT), especializado em tecnologia jurídica, há, pelo menos, 20 legaltechs instaladas em solo indiano.

O mercado de tecnologia jurídica na Índia

O mercado de tecnologia jurídica está em ascensão na Índia, e as legaltechs do país estão divididas nas seguintes categorias: automação e gestão de documentos; compliance; gestão jurídica; legal analytics; redes de profissionais e marketplaces; resolução de conflitos online; e propriedade intelectual. Conheça, então, algumas das startups jurídicas indianas:

1. Automação e gestão de documentos

De acordo com o levantamento do ILT, há três startups jurídicas focadas em automação de documentos jurídicos e gestão do ciclo de vida dos contratos (CLM). A primeira delas é a SpotDraft, que, só para ilustrar, oferece soluções tecnológicas para simplificar o ciclo de vida de ponta a ponta de um contrato, desde a criação até a execução propriamente dita.

A Koncord Law, em suma, desenvolve contratos inteligentes, a partir da tecnologia blockchain, para analisar desvios e violações em tempo real. Além disso, há a Anvi Legal, que desenvolveu uma ferramenta (Anvi Insight) que extrai informações vitais das cláusulas contratuais para minimizar riscos e melhorar a consistência do serviço prestado.

É provável que você goste:

Conheça as principais categorias de legaltechs dos países nórdicos

2. Compliance

Nessa categoria há duas startups. Em síntese, a Lexplosion oferece serviços de conformidade jurídica, gestão de risco, governança, auditorias e contratos. Já a Lawrbit, que atua globalmente, fornece soluções de compliance, gestão de conformidade e auditoria, auxiliando empresas a se atualizar em relação às exigências regulatórias.

3. Gestão jurídica

De acordo com o levantamento da IlT, há duas legaltechs focadas em gestão de escritórios e departamentos jurídicos. A mLEAP é uma plataforma baseada em inteligência oficial que auxilia advogados a reduzir as horas dedicadas à pesquisa. Já a Firmation, em suma, permite gerar faturas e cobranças de honorários de forma automática.

índia 01
O mercado de tecnologia jurídica está em ascensão no país

É provável que você goste:

Conheça as principais categorias de legal techs australianas

4. Legal analytics

Há apenas uma legaltech mapeada pelo ILT na categoria. A LegalMind ajuda escritórios de advocacia e departamentos jurídicos na análise de decisões judiciais, identificando as principais linhas decisórias e tendências de julgamento. As soluções da startup permitem reduzir o tempo gasto em pesquisas jurídicas e auxiliam na tomada de decisões.

5. Redes de profissionais/marketplaces

Conforme o ILT, há três legaltechs focadas em redes de conexão entre clientes e profissionais do Direito. A Legalkart e a Legistify auxiliam os cidadãos indianos a encontrar advogados para sanar dúvidas jurídicas. Já EyeZLegal, aliás, é uma plataforma colaborativa para advogados, gerando oportunidades e negócios para todos os envolvidos.

6. Resolução de conflitos online

O ILT mapeou duas startups na categoria de resolução de conflitos online. A Webnyay e Presolv360 fornecem soluções para a resolução de disputas de maneira eficiente. Já o CORD, em resumo, oferece fornece serviços de resolução de conflitos tanto judiciais quanto extrajudiciais, atendendo vários estágios do ciclo de vida das disputas.

7. Propriedade intelectual

Enfim, há as startups focadas em propriedade intelectual. A Legasis disponibiliza serviços de controle na área. A MikeLegal, aliás, desenvolveu uma plataforma que usa inteligência artificial para oferece pesquisas de marcas registradas. Além disso há a Bernstein, que oferece soluções de blockchain para proteger ativos de propriedade intelectual.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Siga-me, então, no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

Playtest: como funciona a EasyJur

Próximo

Nível de adoção de tecnologia no setor jurídico não tem precedentes