4 itens que NÃO podem faltar no toolkit do advogado 4.0

Hoje escrevo sobre o toolkit do advogado 4.0, em especial sobre as ferramentas das quais o profissional do futuro não pode abrir mão.

Desafios da advocacia 4.0

O crescimento exponencial da tecnologia está afetando radicalmente as nossas sociedades, tornando as relações humanas cada vez mais complexas. Ao mesmo tempo em que oferecem benefícios, os avanços tecnológicos trazem consigo novos problemas. Situações inusitadas – muitas delas então relegadas ao plano da ficção científica – estão aos poucos batendo à porta do Poder Judiciário.

As tecnologias exponenciais – inteligência artificial, robótica e impressão 3D, para ficarmos em alguns exemplos – exigem dos advogados um conjunto de habilidades. Em síntese, estamos diante de uma “nova linguagem” no Direito, que combina a tecnologia, o design, a programação e muitos outros campos do conhecimento. Ou seja, o novo saber jurídico é multidisciplinar.

Nesse cenário acelerado, os advogados deverão estar preparados para enfrentar as questões jurídicas vindouras. Aliás, mais do que enfrentá-las, deverão traduzir o “novo idioma” em um algo de fácil compreensão, para que todos – estagiários, servidores, assessores e magistrados – entendam. Em suma, a entrega da informação jurídica somente é efetiva se o destinatário conseguir compreendê-la.

Para resolver os problemas da era 4.0, o advogado deve, primeiro, mudar a forma de pensar. Compreender o crescimento exponencial, aproveitar a sabedoria da multidão e enxergar o mundo como algo abundante são três mentalidades fundamentais. Mas, para enfrentar as questões jurídicas, o advogado 4.0 deve também ter seu próprio conjunto de ferramentas (toolkit) à disposição.

É provável que você goste:

10 novas funções para os advogados do futuro, segundo Richard Susskind

Toolkit do advogado 4.0

O professor Alexandre Zavaglia Coelho recentemente apresentou um modelo bem estruturado de toolkit para a advocacia 4.0. O template, revelado durante a LawTech Conference 2019, promovida pela empresa StartSe, inclui itens como gestão jurídica, analytics, compliance, correspondentes, inteligência artificial, resolução de conflitos online (ODR), automação e Visual Law.

Ainda que o professor não tenha abordado com mais detalhes cada um dos pontos – até mesmo pelas limitações de tempo de fala próprias de eventos com vários palestrantes – tomo a liberdade de aprofundar um pouco mais quatro deles: gestão jurídica, analytics, correspondentes e Visual Law. Em resumo, tais ferramentas, quando bem aplicadas, fazem a diferença no trabalho dos advogados:

1. Ferramentas de gestão jurídica

O mercado jurídico está cada vez mais concorrido, colocando os profissionais à prova a todo momento. Em resumo, esse cenário competitivo vem levando muitos advogados a investir em departamentos específicos para aprimorar a gestão jurídica de seus escritórios e departamentos jurídicos. Batizadas de controladorias jurídicas, as divisões focam na redução de custos e na otimização de resultados.

Só para ilustrar, algumas lawtechs e legaltechs que oferecem soluções de gestão jurídica:

  • Aurum;
  • EasyJur;
  • SAJ ADV.

2. Ferramentas de inteligência analítica (analytics)

Os dados movem o mundo, e conhecê-los é essencial em qualquer área de atuação. O mesmo vale para a advocacia. Ferramentas de inteligência analítica (analytics, em inglês), como jurimetria e análise preditiva, são essenciais no toolkit do advogado 4.0. No futuro, encontrar padrões e conhecimentos significativos em dados poderá ser a diferença entre o sucesso e o insucesso da causa.

Só para ilustrar, algumas lawtechs e legaltechs que oferecem soluções de jurimetria e análise preditiva:

  • Datalawyer;
  • DigitaLaw;
  • Jurimetric.

É provável que você goste:

A advocacia está passando por duas grandes transformações (e nunca mais será a mesma)

3. Ferramentas de correspondentes jurídicos

Os correspondentes jurídicos são profissionais que prestam serviços diversos, como participação em audiências, protocolo de documentos e extração de cópias. Como o advogado nunca sabe quando precisará desses serviços, é essencial manter no toolkit uma relação de correspondentes já contratados (armazenando na nuvem, por exemplo) ou assinar alguma plataforma que o conecte a novos correspondentes.

Só para ilustrar, algumas lawtechs e legaltechs que conectam advogados a correspondentes:

  • Jurídico Certo;
  • Jusbrasil;
  • LinkLei.

4. Ferramentas de Visual Law

O tempo escasso dos magistrados para analisar todos os processos que lhes são distribuídos tem estimulado advogados a adotar novas práticas de peticionamento. É nesse cenário que se insere o Visual Law, conceito que usa elementos visuais em petições para melhorar a comunicação com os julgadores. Desse modo, modelos de infográficos e fluxogramas não podem faltar no toolkit do advogado 4.0.

Só para ilustrar, algumas ferramentas para elaborar/editar vídeos, infográficos e fluxogramas:

  • Clipchamp;
  • Canva;
  • Draw.io.

O advogado 4.0 deve ter seu próprio toolkit

Novos tempos exigem novas soluções com novas ferramentas. O advogado preparado mentalmente para o “novo mundo” do Direito – e munido de um toolkit – potencializa suas chances de sucesso no mercado jurídico. Meu papel aqui é compartilhar essas informações com você, leitor. Mas cabe a você decidir se deseja utilizá-las para se tornar um profissional 4.0 ou se prefere seguir usando as ferramentas do passado.


Quer estar por dentro de tudo que envolve Direito, inovação e novas tecnologias?

Então, siga-me no FacebookInstagram e LinkedIn e acompanhe conteúdos diários para se manter atualizado.

Bernardo de Azevedo

Advogado, empreendedor, professor e pesquisador de novas tecnologias. Acredita no poder da informação como forma de incentivar as pessoas a promover mudanças.

Anterior

10 novas funções para os advogados do futuro, segundo Richard Susskind

Próximo

Conheça Sigalei, a plataforma que monitora informações do Poder Legislativo